Análise: smartphone ASUS Zenfone 2 [vídeo]

10 min de leitura
Imagem de: Análise: smartphone ASUS Zenfone 2 [vídeo]
Avatar do autor

A ASUS chegou com tudo no mercado de smartphones. O lançamento do seu primeiro modelo por aqui, o Zenfone 5, aliou um produto com características de qualidade a um bom preço e o modelo acabou se tornando um dos mais cobiçados por aqueles que buscam um celular intermediário.

Com o Zenfone 2, a empresa faz uma aposta mais ousada. A ideia agora é levar aos consumidores um celular com características de top de linha, mas que ainda assim mantenha um preço competitivo. Sai de linha a briga com o Moto G e o Redmi 2 para dar lugar a uma competição direta com o Moto X Play e os principais tops de linha de outras fabricantes.

O Zenfone 2 é o primeiro celular a chegar ao mercado com 4 GB de RAM. Além disso, ele conta com processador quad-core Intel Atom Z3580 de 2,3 GHz e tela LED de 5,5 polegadas. Nas lojas, o modelo será vendido por preços a partir de R$ 1.699. Será que vale a pena investir o seu dinheiro na aposta mais ousada já lançada pela ASUS? Isso é o que nós vamos descobrir agora nesta superanálise.

Especificações técnicas

  • Tela: LED IPS de 5,5 polegadas com proteção Gorilla Glass 3
  • Resolução de tela: 1920x1080 pixels
  • Densidade de pixels: 403 ppi
  • CPU: quad-core Intel Atom Z3580 de 2,3 GHz (64-bit)
  • GPU: PowerVR Series 6 G6430
  • RAM: 4 GB (há também versões com 2 GB)
  • Armazenamento: versões com 16 GB, 32 GB e 64 GB (expansível com cartão micro SD)
  • Câmera traseira: 13 megapixels com abertura f/2.0 e foco automático
  • Câmera frontal: 5 megapixels com abertura f/2.0 e foco automático
  • Bateria: lítio-polímero de 3.000 mAh (não removível)
  • Conectividade: WiFi 802.11 a/b/g/n/ac com WiFi Direct, NFC e Bluetooth 4.0
  • SIM-card: dual SIM
  • Dimensões: 15,25 cm (altura) x 7,72 cm (largura)
  • Espessura: 1,09 cm
  • Peso: 170 gramas
  • Cores: prata, preta, vermelha e dourada
  • Preço no Brasil: a partir de R$ 1.299

Design

É inevitável que, em termos de design, façamos uma comparação direta com os modelos anteriores lançados pela empresa, os Zenfone 5 e 6. Até então, a numeração fazia referencia única e exclusivamente ao tamanho de tela. A partir de agora, o número 2 indica uma nova geração de produtos e, embora isso pareça um pouco confuso, fica fácil perceber que não estamos falando de um sucesso, mas sim de um produto que se encaixa em outra categoria.

 

No ponto mais fino da borda do Zenfone 2, a espessura é de apenas 3,9 mm. A parte traseira é curvada e, nesse ponto, o celular lembra muito o design do LG G4. Contribui muito para isso o fato de que há um botão na traseira do celular que serve como controle de volume.

A parte traseira é curvada e, nesse ponto, o celular lembra muito o design do LG G4.

Contudo, diferente do que acontece no smartphone da empresa sul-coreana, o botão Power não está presente na traseira do produto, mas sim na parte superior. A falta de uma distinção clara entre “volume para baixo” e “volume para cima” pode, em um primeiro momento, confundir um pouco a sensibilidade no uso.

Entretanto, inegavelmente o celular se mostra confortável nas mãos, com uma pegada bastante ergonômica e auxiliada pela sua curvatura natural. A tampa traseira, construída em policarbonato, continua sendo removível. Com o smartphone “aberto”, o usuário tem acesso às entradas para SIM card (são duas e o modelo é compatível com 4G) e cartão micro SD.

Teste de benchmark

Para avaliação do ASUS Zenfone 2, submetemos o aparelho a três testes de benchmark: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5 e Vellamo Mobile Benchmark. Diretamente, comparamos o modelo da ASUS com os seguintes celulares: Samsung Galaxy S6, Motorola Moto X Play, LG G4, HTC One M9 e Sony Xperia Z3+.

Desempenho

O Zenfone 2 é poderoso, isso é inegável. Seu conjunto de hardware reúne um processador de quatro núcleos Intel Atom Z3580 de 2,3 GHz com 4 GB de RAM. Oficialmente, o Zenfone 2 é o primeiro modelo a contar com tanta memória disponível. Por conta disso, o usuário pode ficar tranquilo: não há gargalos ou travamentos.

Em nossos testes de benchmark, o modelo se mostrou eficiente, batendo o Moto X Play em vários testes. Aliás, o Moto X Play é o aparelho que pode ser apontado como o concorrente direto do Zenfone 2, uma vez que o desempenho de ambos, bem como a proposta de preço, é bastante similar.

Apesar dos 4 GB de RAM serem um bom diferencial na maioria dos momentos você verá uma boa quantidade de memória ociosa.

Apesar dos 4 GB de RAM serem um bom diferencial – a quantidade de memória dá e sobra para todas as funções que você precisar executar –, na maioria dos momentos você verá uma boa quantidade de RAM ociosa. Na prática, se o aparelho tivesse 3 GB provavelmente o desempenho fosse o mesmo, ainda que em alguns poucos momentos pudesse haver algum gargalo.

A transição entre aplicativos é rápida e eficiente e o software disponibiliza ainda funções para que você limpar processos em execução com agilidade. Abrir vários apps e deixa-los em segundo plano não vai ser mais um problema. Contudo, fica o alerta: é possível fazer o mesmo com menos memória – ao menos na atual geração.

Interface

Para quem gosta de interfaces puras, o Zenfone 2 não é um boa escolha. A ASUS optou por colocar em seus produtos a Zen UI, uma interface que prima pelas possibilidades de modificação que o usuário tem à sua disposição. É possível baixar temas, pacotes de ícones de forma simples e rápida.

Há recursos nativos como pastas inteligentes e a possibilidade de proteger conteúdos com senha. Outro atrativo é a tecnologia ZenMotion, que permite a utilização de gestos para interação. Escrevendo a letra “C” na tela, por exemplo, a câmera é aberta; “W” abre o navegador; entre outros comandos.

  • “C” – abre a câmera
  • “W” – abre o navegador
  • “O” – abre a agenda
  • “E” – abre o email
  • “Z” – abre o ASUS Booster
  • “V” – abre o discador

Por fim, o modelo conta com modos de acesso “fácil” ou para “crianças”, que torna a interface simplificada. Em nossos testes, chamou a atenção o fato de que a ASUS embarcou muitos aplicativos próprios no aparelho, boa parte deles bastante úteis, mas ainda assim o número parece excessivo.

Apesar disso, há espaço de armazenamento de sobra e esse não deve ser um problema. Entretanto, como mencionamos anteriormente, certamente aqueles que preferem um Android um pouco mais “limpo” não vão gostar do resultado.

Hardware

Tela

Normalmente as telas de LCD contam com 4 camadas em sua composição. O aparelho da ASUS conta com uma tecnologia chamada TruVivid, que permite eliminar duas delas. O resultado disso é um índice menor de reflexos, respostas mais rápidas ao toque e níveis mais alto de brilho e clareza.

De fato, em nossos testes, a tela do Zenfone 2 se saiu razoavelmente bem em todos os quesitos avaliados. Contra a luz intensa ou sob a luz do sol, a visibilidade é regular, sem reflexos excessivos. O deslizar dos dedos sobre a tela é suave, o que mostra que o display é igualmente competente ao de outros tops de linha, mas apesar da camada anti-digitais que reveste o display, notamos que as marcas de impressões digitais permanecem no produto.

O aparelho da ASUS conta com uma tecnologia chamada TruVivid, que permite eliminar duas das quatro camadas tradicionais do display.

Com 5,5 polegadas de tamanho, merece destaque ainda o fato de que a ASUS optou por bordas mais finas em seu dispositivo. Os méritos do design se refletem um produto que em seu corpo não aparenta ser muito maior do que um dispositivo com 5 polegadas, por exemplo.

Ainda na parte frontal, vale a menção de que os botões capacitivos não são iluminados, o que pode incomodar um pouco na hora de manuseá-lo no escuro. Trata-se de uma opção da fabricante e que pode agradar ou desagradar os consumidores. Sinceramente, durante minha utilização, não considerei isso um problema.

Câmeras

A ASUS deu uma atenção especial às câmeras do seu mais novo smartphone. A câmera traseira, com 13 megapixels de resolução, conta com a tecnologia PixelMaster 2.0, que reconhece o ambiente e ajusta os modos de captura a uma das 16 opções disponíveis.

Em linhas gerais, a câmera do aparelho é razoável e o usuário consegue boas fotos com ela. O grande destaque fica por conta do uso dela em situações com baixa luminosidade – e é onde entra em ação a PixelMaster. Ela combina 4 pixels em um único “superpixel” e o resultado são imagens com 4 vezes mais sensibilidade à luz e contraste. O nível de ruídos também é drasticamente reduzido.

Para quem gosta de trabalhar um pouco mais as suas imagens, há opção ainda de captura a partir de um modo manual. Ele permite uma experiência mais próxima ao que você teria com uma câmera DSLR, permitindo ajuste de itens como indicador de horizonte, histograma, velocidade do obturador, balanço de branco, ISSO, EV, distância focal, saturação, contraste, nitidez, redução de ruído e exposição em pontos separados.

Na câmera frontal, o destaque é a lente com abertura f/2.0, o que resulta em um ângulo de visão de 85 graus. O software permite ainda que você tire “Selfie Panorama”, permitindo ampliar o campo de visão para até 140 graus. Há um modo de “embelezamento em tempo real”, similar ao do Redmi 2, e softwares para edição de imagem embarcados.

Bateria

Numericamente, a capacidade de bateria do ASUS Zenfone 2 está entre as maiores do mercado. Os 3.000 mAh de capacidade colocam o aparelho à frente de modelos como Apple iPhone 6 Plus, Samsung Galaxy S6 ou HTC One M9, por exemplo, e lado a lado com o LG G4. Entretanto, na prática isso não significa um desempenho acima da média.

Em nossos testes, o desempenho de bateria ficou dentro dos parâmetros esperados, mas o aparelho não pode ser considerado um destaque nesse quesito. Usando o celular de forma intensa (WiFi e 3G ativos, rodando jogos e vídeos de forma alternada continuamente) foram necessárias pouco mais de seis horas para drenar a carga por completo.

Porém, vale lembrar que ele conta com modos específicos para economia de energia. É o caso do “Modo de economia inteligente”, que permite personalizar as suas próprias configurações de economia de energia, e o “Modo ultra-econômico”, que maximiza a vida da bateria e desconecta a rede quando o dispositivo é suspenso. Em ambos os casos, pode haver ganhos significativos de durabilidade da carga, chegando a até 20% do tempo.

Para aqueles que têm pressa, o modelo é compatível ainda com a tecnologia BoostMaster, que permite a recarga rápida do aparelho. De acordo com a ASUS, com ele ativado é possível levar a carga de 0% a 60% em apenas 39 minutos. Em nossos testes, demorou um pouco mais do que isso – 44 minutos -, mas inegavelmente o índice obtido é bastante satisfatório.

Áudio

Há pontos positivos e negativos significativos que devem ser observados na qualidade de áudio do Zenfone 2. Vamos começar pelas boas notícias. A empresa decidiu incluir um aplicativo chamado “Assistente de Áudio” que, de fato, tem um bom impacto sobre a qualidade sonora final.

Ele conta com configurações prévias para estilos musicais, filmes, gravações, conversas via telefone ou jogos. Ou seja, na prática você pode adaptar o seu dispositivo à necessidade em questão, uma característica que muitas vezes é deixada de lado pelas fabricantes.

O Zenfone 2 conta com configurações prévias para estilos musicais, filmes, gravações, conversas via telefone ou jogos.

O aspecto negativo é que, embora o som dos speakers seja alto, por vezes ele soa um tanto quanto estridente e embargado. Essa característica não chega a ser um problema, mas pode incomodar aqueles que valorizam esse recurso. O microfone para gravações é apenas razoável.

Os fones de ouvido que acompanham o produto são do tipo intra-auricular e têm qualidade mediana. Eles são suficientes para você ouvir suas músicas sem se incomodar muito, mas aqueles que valorizam todos os aspectos de áudio de boa sonoridade – e essa sempre foi uma característica positiva de outros produtos da ASUS – certamente vão se decepcionar um pouco aqui.

Vale a pena?

A ASUS pode ser considerada uma das mais gratas surpresas do mercado de smartphones. Com o Zenfone 5 ela conseguiu aliar um produto de boa qualidade a um custo acessível e compatível com a sua proposta. O Zenfone 2 representa uma mudança de categoria, já que agora a empresa planeja brigar também pelos tops de linha.

Num comparativo direto, é possível apontar o Zenfone 2 como o rival direto do Motorola Moto X Play. Ele ganha em alguns quesitos, como câmera e desempenho, e serve como opção para quem gosta de interfaces com mais funções e recursos. O aparelho da Motorola, por outro lado, tem bom desempenho de bateria, é resistente a água e chega às lojas por um preço acessível.

O Zenfone 2 se mostra equilibrado e chama a atenção pelos bons resultados em fotos noturnas e, principalmente, pelo desempenho, graças aos 4 GB de RAM. Com preço competitivo dentro de sua proposta, o modelo sem dúvida deve figurar nas listas de mais vendidos de 2015. Bom para o consumidor, numa prova de que ele não precisa de forma alguma gastar mais do que R$ 2 mil em um celular hoje em dia.

Compare os preços do ASUS Zenfone 2

Cupons de desconto TecMundo:

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Análise: smartphone ASUS Zenfone 2 [vídeo]