Dona da 99 suspende chegada ao Reino Unido após sanções da China

1 min de leitura
Imagem de: Dona da 99 suspende chegada ao Reino Unido após sanções da China
Imagem: Didi/Facebook
Avatar do autor

Depois de ter seu aplicativo removido de todas as lojas da China, a Didi Global, dona de apps como o 99 e maior concorrente mundial da Uber, adiou seus planos para se lançar na Grã-Bretanha e na Europa continental. O jornal britânico The Telegraph informou na segunda-feira (23) que a suspensão pode estar relacionada com a questão doméstica sobre a forma de gerenciar os dados dos seus clientes.

Após obter licenças para operar em diversas cidades do Reino Unido, a empresa chinesa informou aos funcionários já contratados que eles podem ser dispensados, pois a Didi interrompeu as contratações no país, adiando os planos de lançamento por pelo menos 12 meses.

Um porta-voz da Didi fez uma declaração genérica, sem mencionar os planos de lançamento no país, afirmando que a empresa iria continuar a explorar novos mercados, estabelecendo contatos com as partes interessados e pensando no melhor momento para lançar seus serviços. E resumiu: “Assim que tivermos mais notícias sobre novos mercados adicionais, teremos prazer em compartilhar".

Os apertos da Didi

Logo da Didi durante seu IPO na Bolsa de Nova York (Fonte: Brendan McDermid/Reuters/Reprodução.)Logo da Didi durante seu IPO na Bolsa de Nova York (Fonte: Brendan McDermid/Reuters/Reprodução.)Fonte:  Brendan McDermid/Reuters 

A Didi atravessa um momento turbulento da sua história, pressionada dos dois lados do mundo. Além da natural “marcação” norte-americana de um lado, principalmente depois do lançamento de suas ações na bolsa de Nova York, a companhia encara uma séria revisão de segurança cibernética, promovida pelas autoridades chinesas, em “guerra” com as big techs do país para garantir um armazenamento seguro para os dados de seus usuários.

Apesar de toda a pressão, a Didi continua firme nos seus planos de expansão de negócios internacionais. Depois do sucesso de sua oferta pública inicial (IPO) nos Estados Unidos em junho, quando levantou US$ 4,4 bilhões (R$ 23,5 bilhões), a companhia fez lançamentos na África do Sul, Equador e Cazaquistão. No Brasil, a empresa atua desde 2018, sob a marca 99.