Morphoz: elétrico da Renault “cresce” para caber mais bateria

1 min de leitura
Imagem de: Morphoz: elétrico da Renault “cresce” para caber mais bateria
Avatar do autor

A Renault apresentou o Morphoz, um conceito de veículo 100% elétrico que pode aumentar o comprimento de sua carroceria para acomodar uma bateria extra e, com isso, ampliar sua autonomia.

No segmento dos carros elétricos, uma das maiores preocupações gira em torno da distância que eles podem percorrer com uma carga. Isso, porque as baterias elétricas pesam bastante, tomam espaço, além do fato de que a infraestrutura dos carregadores elétricos de rua ainda não se compara com a quantidade de postos de gasolina espalhados pelo país.

Morphoz poderia substituir carros convencionais

Em seu tamanho padrão, a carroceria do Morphoz tem 4,4 metros de comprimento. Mas, se o veículo for levado a um dos centros especiais de troca de bateria — que a Renault ainda planeja instalar — ele poderia alongar carroceria, adotando o comprimento de 4,8 metros. A bateria extra seria instalada por baixo, junto à base do piso do carro.

Veja o vídeo de apresentação do Morphoz:

Em outras palavras, o carro, que já conta com uma bateria de 40 kWh, receberia uma extra com mais 50 kWh. Esse incremento estenderia a sua autonomia de 400 km para 700 km. Outro benefício dessa modularidade é que o carro também ganha mais espaço para as pernas dos passageiros e mais bagagem.

Baterias grandes não são a solução

Segundo a Renault, equipar todos os carros elétricos com imensas baterias não é uma solução plausível. Até porque, para quem vai rodar somente dentro da cidade, o carro não necessitaria ter capacidade de percorrer grandes distâncias. Sendo assim, essa abordagem modular do Morphoz faz bastante sentido.

Além do mais, a bateria extra de 50 kWh poderia ser usada para armazenar energia da rede nacional e ser devolvida, caso houvesse uma demanda maior.

No mais, o Morphos é apenas um conceito e não há nenhuma certeza de que ele será lançado um dia.

Morphoz: elétrico da Renault “cresce” para caber mais bateria