Drones e carros elétricos são dois ícones de um futuro que estamos vendo acontecer diante de nossos olhos. Assim sendo, nada mais justo do que colocar os dois para disputar uma corrida rápida durante o ePrix de Nova York: um drone Titan Grand Prix GFD1 alinhou para uma largada rápida contra um carro de Fórmula E.

A ideia era fazer uma melhor de três para ver qual dos dois veículos levava a melhor em um trecho de 650 metros do percurso – e o fórmula acabou vencendo. Mas não porque foi mais rápido e sim porque o drone foi traído pela lei da gravidade e sofreu um acidente terrível.

Não é possível identificar muito bem qual foi a causa da queda, mas o drone parece parar de funcionar abruptamente e simplesmente cai e se despedaça no chão. Ele conta com oito hélices e a estimativa é que sua velocidade máxima seja superior a 180 km/h. A Federation of Drone Racing, responsável por organizar competições envolvendo os robôs voadores, quer usar o modelo para a sua classe mais rápida.

O time que estava controlando o drone não pareceu muito triste com o acidente: enquanto os espectadores riam e gritavam, eles entraram na pista para buscar os restos mortais do robô saudando a todos.

No fim das contas, se for pra andar rápido, é melhor ficar no chão mesmo.