Há pouco mais de um mês a Faraday Future quis provar para o mundo que seu carro realmente funcionava e, para isso, colocou o protótipo do seu FF 91 para participar em uma das competições automobilísticas mais tradicionais do mundo: a Pikes Peak Hill Climb, no Colorado.

Na ocasião, não apenas o carro conseguiu chegar ao topo, como também fez isso mais rápido que o Tesla Model S. No entanto, o intuito da companhia era coletar informações e dados do comportamento do FF 91 em condições de uso mais extremas.

Algumas descobertas envolveram a parte de relés do conjunto de baterias, além de alguns ajustes necessários no software de controle do acelerador – que bugou e interpretou que a aceleração contínua durante a competição era como se o acelerador tivesse travado.

Essas descobertas foram sintetizadas em um vídeo feito pela empresa, no qual alguns engenheiros também explicam que tanto o software quanto os componentes utilizados no carro são os mesmos que serão utilizados na versão final e que, de certa forma, a corrida ajudou a equipe a compreender melhor os limites do conjunto de motores e bateria do veículo.

O futuro do FF 91 é incerto: apesar de ter sido flagrado andando pelas ruas da Califórnia, a empresa enfrenta problemas financeiros bem sérios que podem minar o andamento do projeto e, na pior das hipóteses, resultar em seu cancelamento.