A Tesla quase se tornou alvo de uma nova polêmica depois que surgiram notícias de um acidente envolvendo um Model S e que, a princípio, foi causado por uma falha no sistema de direção semiautônoma do veículo, o Autopilot.

O veículo supostamente acelerou sozinho e saiu da estrada no estado de Minnesota, culminando em um capotamento que terminou com o veículo de cabeça para baixo. O dono do carro prontamente botou a culpa no Autopilot e afirmou que o sistema fez com que o Model S acelerasse bruscamente, mas, depois de alguns dias, ele mudou sua história: disse que suas alegações foram feitas no calor do momento e que, na verdade, o sistema foi desativado quando ele acelerou momentos antes do acidente.

A versão verdadeira da história foi informada por Elon Musk através de seu Twitter, que revelou o conteúdo de um e-mail enviado por David Clark, dono do veículo, para as autoridades locais e copiou a Tesla.

Não dá pra saber se Clark se sentiu ameaçado pelo fato de a Tesla ter informado que iria investigar as causas do acidente – e, consequentemente, descobrir a verdade sobre a desativação do Autopilot –, mas a questão é que ele resolveu contar o que realmente aconteceu.

Não é a primeira vez que alguém tenta jogar a culpa de seus acidentes no sistema de direção da Tesla, que foi o foco de uma investigação sobre outro acidente fatal que aconteceu no início do ano passado. Recentemente, ele foi esclarecido como não sendo culpa da montadora, mas mais um erro humano.

Vale lembrar que o Autopilot não é um sistema de direção autônomo (pelo menos ainda), então é uma exigência que motorista continue prestando atenção no trânsito e mantenha as mãos no volante caso seja necessário intervir.