No ano passado, um acidente fatal quase colocou em xeque o futuro dos carros autônomos, já que havia uma suspeita de que o episódio poderia ter sido culpa de uma falha no sistema de Autopilot do Model S, da Tesla. Agora, no entanto, depois de uma longa investigação, a montadora de Elon Musk foi inocentada nesse caso.

Foi preciso que a perícia levantasse informações suficientes sobre o ocorrido e criasse um relatório de 538 páginas para que a empresa não fosse responsabilizada pela tragédia. Na ocasião, o ex-Navy SEAL Joshua Brown colidiu contra um caminhão enquanto seu veículo estava no modo de direção guiada por computador.

Foto do acidente

O que se descobriu em relação a isso é que o condutor não manteve suas mãos no volante mesmo que o sistema de bordo tenha avisado repetidamente para que Brown tomasse controle do automóvel. A própria Tesla lembra que esse é um procedimento padrão para seus veículos, já que o motorista deve estar atento e preparado mesmo com o Autopilot ativo.

Esse levantamento corrobora com outro relatório publicado em maio pela agência de segurança rodoviária dos EUA (NHTSA) e dá mais fôlego para que a fabricante continue a refinar seus carros inteligentes. Apesar de tudo isso, vale notar que a causa do acidente ainda não foi determinada, o que pode deixar uma pulga atrás da orelha de quem ainda tem certo receio de testar esse tipo de transporte inteligente.

Cupons de desconto TecMundo: