10 animes que os fãs amam ou odeiam

Imagem de: 10 animes que os fãs amam ou odeiam
Imagem: http://www.st-trigger.co.jp/

Apesar de existirem animes consagrados que conquistaram não somente fãs por todo o planeta, mas também uma série de críticas positivas e status de obras-primas, nenhum deles está sujeito à unanimidade. Inclusive, muitos animes até hoje dividem a opinião dos espectadores pelos mais diversos motivos.

Confira abaixo alguns dos animes que mais dividem a opinião do público e que chamam a atenção por apresentar detalhes impressionantes ao lado de surpresas minimamente questionáveis.

10. Samurai X

(Fonte: Viz Media / Reprodução)(Fonte: Viz Media / Reprodução)Fonte:  Viz Media 

Diferentemente da maioria dos casos, Samurai X não dividiu os fãs por seu conteúdo original, mas, sim, por uma acusação sofrida em 2017 pelo mangaká Nobuhiro Watsuki, acusado e preso por possuir pornografia infantil. O evento acabou acendendo uma espécie de "justiça ética" em parte do público, que deixou de acompanhar as aventuras de Kenshin "Battousai" Himura por não conseguir separar a obra de seu criador.

9. Sword Art Online

(Fonte: Aniplex / Reprodução)(Fonte: Aniplex / Reprodução)Fonte:  Aniplex 

Inspirado nos games lançados a partir de 2010, Sword Art Online foi um deleite para os fãs da franquia, entregando uma diversão escapista e cenas de ação que colocam muitos animes de ação no chão. Porém, as principais críticas apontaram as divergências entre a proposta isekai, ou seja, de realidades paralelas, e a personalidade do protagonista Kazuto Kirigaya, que muitas vezes parece não ser compatível com a trama pelo excesso de autopiedade.

8. Neon Genesis Evangelion

(Fonte: Gainax / Reprodução)(Fonte: Gainax / Reprodução)Fonte:  Gainax 

Você certamente já ouviu falar de alguém que não entendeu nada de Evangelion, mas mesmo assim concordou que o anime é uma obra-prima. A série, criada por Hideaki Anno enquanto combatia uma forte depressão, é elogiada pela sua singularidade e pela identidade conceitual/narrativa, mas os críticos mais fervorosos a acusam de pretensiosa, inchada e com personagens controversos.

7. Monogatari

(Fonte: Kodansha / Reprodução)(Fonte: Kodansha / Reprodução)Fonte:  Kodansha 

De início, Monogatari pode ser um pouco complicado de assistir, especialmente para quem está começando a entrar no universo dos animes, devido a sua narrativa pouco convidativa e ao roteiro excessivamente longo. Porém, fãs da série de animes admiram o ritmo inteligente, os diálogos cheios de referências à cultura japonesa e o humor satisfatório do gênero, tudo apresentado em belos visuais e artes refinadas.

6. Attack on Titan

(Fonte: Wit Studio / Reprodução)(Fonte: Wit Studio / Reprodução)Fonte:  Wit Studio 

Não há como negar que Attack on Titan é um verdadeiro fenômeno e uma das maiores séries de todos os tempos. Porém, o público com inclinações políticas acaloradas, digamos assim, sentiu a tensão atmosférica do anime e trouxe os ideais autoritários de humanidade vs. titãs para seu próprio espectro, acusando a produção de compactuar com o fascismo e de validar estratégias isolacionistas e militares.

5. Kill la Kill

(Fonte: Trigger / Reprodução)(Fonte: Trigger / Reprodução)Fonte:  Trigger 

Lutas intensas, transformações sinistras, visuais nostálgicos e uma comédia muito bem equilibrada com a ação são elementos que prevalecem no empolgante Kill la Kill. Porém, em meio a tudo isso, o anime contou com um controverso fanservice ao apostar em garotas (para não dizer meninas) praticamente seminuas em 70% do tempo, tudo com pouca justificativa narrativa e sem muito sentido em meio à proposta do shounen.

4. Eromanga Sensei

(Fonte: Tokyo MX / Reprodução)(Fonte: Tokyo MX / Reprodução)Fonte:  Tokyo MX 

Eromanga Sensei é o clássico ecchi japonês que volta a apostar no sempre controverso tema sobre incesto, focando em apresentar personagens dotados de humor e com personalidades mais suaves em relação aos tradicionais da categoria. Porém, enquanto muitos espectadores curtiram a apresentação mais light e personagens menos apelativos, outros julgaram a série como uma produção genérica e previsível, sem diferenciais ou novidades para o gênero.

3. Naruto

(Fonte: TV Tokyo / Reprodução)(Fonte: TV Tokyo / Reprodução)Fonte:  TV Tokyo 

A fase clássica de Naruto certamente é um dos maiores divisores de águas entre os fãs. Isso porque enquanto muitos acreditam que ela seja a essência do anime e tenha sido a principal construtora dos formatos episódicos modernos, outros julgam pelo excesso de fillers, histórias paralelas e fortes perdas de ritmo no início dos vários arcos, tornando-se cansativa e superestimada.

2. Mirai Nikki

(Fonte: Asread / Reprodução)(Fonte: Asread / Reprodução)Fonte:  Asread 

O ousado e provocativo Mirai Nikki, de 2011, foi um dos maiores formadores de tendências da última década, seguindo a linha de animes violentos com foco em entregar bons visuais e personagens imprevisíveis. Todavia, esses aspectos positivos foram questionados por parte dos espectadores, que discordaram dos pontos de vista positivos ao apontar excesso de questões existencialistas mal desenvolvidas e a fraca evolução da história.

1. Goblin Slayer

(Fonte: Funimation / Reprodução)(Fonte: Funimation / Reprodução)Fonte:  Funimation 

O primeiro episódio de Goblin Slayer chegou com tudo e consolidou a série como um dos animes mais promissores de 2020. Porém, sua estreia foi recheada de dúvidas entre os espectadores, com alguns aclamando os visuais e a violência gráfica, enquanto outros julgaram como apelativo e com golpes baratos apenas para chocar. Outra questão foi a perda de ritmo, que irritou muitos fãs após os episódios seguintes pecarem em intensidade e em continuidade narrativa.

Fontes