Relação entre Google e Microsoft fica no plano das "flechas envenenadas". (Fonte da imagem: Reprodução/John R. Couglin)

Não é de hoje que a Google tem dificultado a vida de quem desenvolve ferramentas para o Windows Phone — pelo menos é o que acredita a Microsoft, que rebateu as críticas que Larry Page, CEO da Google, fez contra a criadora do Windows. Ontem (15), na Google I/O, o líder da gigante das buscas comentou que a Microsoft incorporou o Gtalk ao chat do Outlook, mas não liberou qualquer função semelhante em contrapartida para os desenvolvedores.

Segundo ele, o mundo da tecnologia precisa de menos negatividade e mais cooperação, julgando a ação da empresa de Bill Gates. Hoje (16), um porta-voz da Microsoft aproveitou para cutucar Page com suas próprias palavras sobre cooperação falando da crise da remoção do YouTube da loja do Windows Phone.

O problema foi gerado porque a Microsoft teria impedido que os anúncios no YouTube fossem mostrados em sua plataforma, o que acabou acarretando a remoção. Contudo, parece que o problema é outro. “Nós ficaríamos mais que felizes em trazer os anúncios de volta ao YouTube, mas precisamos que a Google forneça acesso às APIs necessárias”, justificou o porta-voz.

O executivo ainda completou sua declaração citando Page. “Vendo os comentários de Page hoje pedindo mais cooperação e menos negatividade, nós esperamos resolver esse problema em conjunto para nossos clientes”, comentou.

Cupons de desconto TecMundo: