AmpliarDesign do smartphone Surface imaginado por um artista. (Fonte da imagem: Reprodução/Jonas Daehnert)

Um recente documento enviado pela Nokia para a Securities and Exchange Commission, órgão responsável pela regulação e fiscalização dos títulos federais e de câmbio dos EUA, revela que a companhia está preocupada com a real possibilidade de a Microsoft lançar um smartphone sob a sua própria marca — o que poderia “roubar” parte do seu mercado, já que as empresas são parceiras na produção desse tipo de gadget, tendo como maior exemplo a linha Lumia.

De acordo com esse relatório oficial, no entendimento da Nokia a “Microsoft pode tomar decisões estratégicas que seriam prejudiciais para nós. Por exemplo, além do tablet Surface, a Microsoft pode ampliar sua estratégia de vendas com outros dispositivos móveis sob sua própria marca, incluindo smartphones”.

“Isso poderia levar a Microsoft a se concentrar mais em seus próprios dispositivos e deixar de lado aparelhos móveis de outros fabricantes que operam com a plataforma Windows Phone, incluindo a Nokia”, complementa o informativo. “Se a Microsoft reduzir o investimento nesse sistema operacional ou até mesmo interrompê-lo, a nossa estratégia para smartphones seria afetada direta e negativamente por tais atos”, finaliza a Nokia.

As suspeitas são antigas

A partir do momento que foi revelado o tablet Surface, começaram a surgir os rumores de que a Microsoft estaria trabalhando também em um smartphone próprio, o qual contaria com o Windows Phone 8. Poucos dias depois, a própria companhia desmentiu esses boatos.

Apesar disso, as especulações sobre um celular desenvolvido e fabricado completamente pela empresa de Redmond continuaram a ser veiculadas na web, inclusive indicando o seu lançamento para o primeiro semestre de 2013 e que a Foxconn teria sido a montadora escolhida para produzir os supostos “smartphones Surface”.

Obviamente, as parceiras da Microsoft se sentiram bastante ameaçadas por estarem correndo o risco de perder um lucrativo mercado, embora elas não tivessem se pronunciado abertamente sobre o assunto até este momento.

Cupons de desconto TecMundo: