(Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Em evento para a imprensa e parceiros, a Cielo lançou nesta segunda-feira (28) em São Paulo um novo sistema para pagamento por cartão com o auxílio de smartphones. O equipamento segue a tendência do mercado, com soluções de baixo custo e maior mobilidade com foco em microempresários e empreendedores individuais.

As novidades foram apresentadas pela empresa como sendo a evolução do já existente aplicativo da marca, agora com muito mais segurança e opções para os consumidores. Com o equipamento é possível fazer compras no débito, crédito em até 12 parcelas, voucher e crediário em até 48 vezes.

O aparelho é compatível com todas as bandeiras já aceitas por outros sistemas da Cielo e permite pagamento com cartões com e sem chip, mediante senha, de forma semelhante à que ocorre nas máquinas convencionais.

Equipamento Cielo Mobile ao lado de smartphone com o aplicativo já rodando (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Para funcionar, o aparelho se conecta com um smartphone via Bluetooth. Para fazer a cobrança, o empreendedor deve escolher forma de pagamento no smartphone e, instantaneamente, o valor aparece na máquina da Cielo.

Com um display sensível ao toque, o consumidor deve digitar a senha e aguardar a aprovação. O comprovante de pagamento então aparece na tela do smartphone e pode ser enviado por email para o consumidor. Os comprovantes não tem qualquer valor fiscal, funcionando exatamente da mesma forma que a dos comprovantes que são emitidos pelas máquinas tradicionais.

Custos e taxas

Ao contrário de sistemas como o iZettle e PagSeguro, em que o empresário compra a máquina (R$ 99 e R$ 119, respectivamente) e fica livre de mensalidades, pagando apenas taxas por transação, com o sistema da Cielo não é necessário comprar o equipamento. Porém, quem optar pela solução da empresa deverá pagar uma “taxa de conectividade” de R$ 11,90 (contra os mais de R$ 100 mensais em máquinas de cartão com conexão sem fio).

Essa taxa inclui a atualização permanente do sistema, troca de equipamento em caso de extravio e até mesmo a substituição no caso de lançamentos de novos aparelhos, da mesma forma como é feito com as máquinas tradicionais (POS).

Após registrar os dados no smartphone, é só inserir o cartão na máquina e entregá-la ao cliente para que a senha seja digitada com privacidade (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Para cada transação o empresário também paga uma taxa. Os valores da Cielo são diferenciadas de outros serviços. Para débito, será cobrado 3,19%; e, para crédito (a vista ou parcelado), 4,05% — contra 5,75% da iZettle e 3,99% do PagSeguro.

Para Rômulo de Mello Dias, presidente da Cielo, o maior diferencial do sistema está nas opções disponibilizadas. “É o sistema mais seguro e mais completo do mercado hoje. Ele aceita todas as bandeiras, conta com criptografia de dados e é aprovado pela Anatel”.

Uma nova opção para um público específico

Embora a marca defenda que o sistema está disponível para todos os tipos de negócios, a Cielo tem uma meta de público bastante clara com o novo sistema: microempresários, trabalhadores autônomos e empreendedores individuais.

Com o custo baixo em comparação com outras opções da empresa, a proposta é atender a um mercado que hoje ainda não tem acesso a equipamentos de cartão tradicionais. “É ideal para o taxista que precisa passar cartão ou para o pedreiro cobrar por serviços”, disse Dias.

Ainda segundo Dias, nada impede que o sistema seja utilizado por negócios maiores, porém o pagamento via mobile ainda não é tão veloz no processamento de pagamento quanto as máquinas tradicionais.

Recibo digital de compra é emitido no smartphone. É possível enviar uma cópia por email para o comprador (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Ao mesmo tempo, o aparelho demanda um smartphone habilitado para cada máquina, o que dificulta a utilização do serviço para negócios com uma maior rotatividade de clientes e maior número de funcionários realizando a cobrança, como restaurantes e lojas de varejo.

Dias ainda acrescenta que o novo equipamento deve aumentar significativamente as transações via celular devido ao aumento de segurança, no entanto a empresa não divulga metas. “Já ultrapassamos os 200 mil downloads do Cielo Mobile e são mais de 25 mil usuários ativos”, complementa.

Adesão

Para aderir ao sistema é preciso passar por análise de cadastro e possuir um smartphone com Android ou iOS. O sistema já está disponível para a plataforma da Google, mas quem contar com aparelhos de Apple vai precisar esperar até novembro para baixar o aplicativo.

Quem já utiliza o aplicativo da Cielo (até agora sem o leitor de cartões) só precisa fazer a solicitação do equipamento. Tanto para quem já trabalha com a Cielo quanto para novos clientes, a previsão de envio do equipamento é de 15 dias a partir de hoje.

Cupons de desconto TecMundo: