5G ‘de verdade’ é ativado hoje (6) em Brasília; saiba o que muda

1 min de leitura
Imagem de: 5G ‘de verdade’ é ativado hoje (6) em Brasília; saiba o que muda
Imagem: Samsung/Divulgação
Avatar do autor

Nesta quarta-feira (6), estreia na cidade de Brasília (DF) o 5G “de verdade” na faixa de 3,5 GHz. Diferente dos padrões 5G DSS e 5G NSA (Non Standalone), que usam tecnologias do 4G, o 5G SA (Standalone) é a versão que oferece download e upload mais rápidos, além de baixa latência de conectividade.

Após o leilão do 5G em novembro de 2021 e da liberação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as operadoras já poderão ofertar o 5G “puro” aos seus clientes. De início, Tim e Claro já confirmaram que terão ofertas da tecnologia na região.

As cidades de São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), João Pessoa (PB) e Belo Horizonte (MG) serão as próximas a contar com o 5G de 3,5 GHz, mas ainda sem data definida. A Anatel também informou que todas as capitais brasileiras devem receber a tecnologia até 29 de setembro.

A nova geração da internet móvel permite conexões de 1 Gigabit (Gbps), ou dez vezes mais do que o 4G permite. As principais características incluem:

  • Downloads e uploads muito mais rápidos

  • Baixa latência (com efeito direto em jogos online)

  • Impactos industriais com conexões mais rápidas e volumosas

iPhone 13 ProApple pode precisar atualizar iPhones para que sejam compatíveis com o 5G SA.

De acordo com a agência, a operadora Tim deverá instalar 100 antenas que devem atender “entre 40% e 50% da população do Distrito Federal”. Já nos próximos meses, outras 64 antenas passarão a funcionar e devem atingir 65% da população local.

5G puro pode ser mais caro

O uso das redes 5G SA também pode acabar ficando mais caro para alguns consumidores. Alguns modelos de celulares podem precisar realizar a troca para um chip mais recente e também fazer uma atualização de plano, o que pode variar de acordo com as operadoras.

A operadora Claro lança a tecnologia como 5G+, mas reforça que ela não trará custos adicionais aos consumidores que já possuem dispositivos compatíveis com o 5G SA. No caso da Tim, os clientes de planos pós-pagos podem assinar a tecnologia por R$ 20 adicionais.

O uso do 5G SA deve ficar mais caro para consumidores que possuem aparelhos compatíveis apenas com o 5G DSS ou 5G NSA. Nestes casos, os usuários podem utilizar o 5G “impuro” até que realizem a troca de aparelho.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.