Banco JPMorgan cobra US$ 162 milhões da Tesla em processo

1 min de leitura
Imagem de: Banco JPMorgan cobra US$ 162 milhões da Tesla em processo
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

Nesta última segunda-feira (15), o banco americano JP Morgan Chase aplicou um processo contra a Tesla para garantir US$ 162 milhões (R$ 890 milhões na cotação atual) por romper um contrato de garantias. Conforme as informações, a companhia de Elon Musk rompeu um contrato sobre garantias em uma operação no mercado financeiro.

A JPMorgan afirma que a Tesla descumpriu "flagrantemente" o contrato de opções de compras, que garantia um pagamento ao banco, em dinheiro ou ações, caso o preço dos ativos superasse um valor pré-determinado.

Tesla descumpriu garantias

Em um tuíte antigo, Musk afirmou que fecharia o capital da Tesla em US$ 420 por ação e, assim, o banco teve que revisar o contrato. Pouco depois, o CEO da Tesla desistiu da ideia e a JPMorgan precisou ajustar o acordo novamente.

A parceria começou em 2014, mas o prazo final do investimento é neste ano. Nesse meio tempo, as ações da Tesla já ultrapassaram o preço do contrato quase dez vezes, mas a Tesla não pagou nenhuma vez pelos ajustes das garantias.

“Apesar dos ajustes feitos pelo JPMorgan serem adequados e uma exigência contratual, a Tesla se recusou a aceitar o preço de referência e pagar o que deve. A Tesla está em flagrante descumprimento de suas obrigações contratuais. Como resultado, mais de US$ 162 milhões são devidos ao JPMorgan pela Tesla”. revelou o banco na corte de Manhattan.

Até o momento, a Tesla não revelou nenhuma informação sobre o caso, contudo, em 2019, a companhia afirmou que o banco JPMorgan estava tentando ser "oportunista" ao tirar vantagem da volatilidade de valor dos papéis da fabricante de carros elétricos.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.

Fontes