Apple deve enfrentar processo na UE com multa de US$ 27 bilhões

1 min de leitura
Imagem de: Apple deve enfrentar processo na UE com multa de US$ 27 bilhões
Imagem: Pres Panayotov/Shutterstock
Avatar do autor

A Apple deverá enfrentar um processo antitruste encabeçado pela União Europeia (UE). O foco da acusação deve ser o chip NFC utilizado para pagamentos no Apple Pay, tecnologia que foi fechada e não está aberta para acesso de outras empresas do setor.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (06) pela Reuters. De acordo com o veículo, fontes da UE disseram que a entidade está preparando um documento para pedir explicações à Apple sobre o caso.

A formalização, que deve ser enviada para a Apple somente em 2022, acusará a empresa de estabelecer práticas de mercado anticompetitivas. O processo é realizado pela Comissão Europeia para a Concorrência, entidade responsável pela regulação do mercado no continente e que é comandada pela economista dinamarquesa Margrethe Vestager.

Margrethe Vestager Margrethe Vestager lidera a entidade europeia desde 2014

Segundo a Reuters, a investigação sobre o caso começou em meados de junho do ano passado, quando a Comissão começou a olhar com mais critério para o Apple Pay. A entidade europeia tem se preocupado como o sistema tap-and-go do iPhone é utilizado em aplicativos e sites de comércios e como a gigante da tecnologia é pouco transparente sobre a ferramenta.

Depois das apurações iniciais, a organização regulatória começou a mirar especificamente no chip NFC, que é utilizado exclusivamente na ferramenta de pagamentos da companhia de Tim Cook.

A Comissão tem pelo menos três processos contra a Apple e pode multar a empresa em um valor de até 10% do faturamento global. Levando em consideração o faturamento da marca em 2020, o valor poderia chegar a US$ 27,4 bilhões (cerca de R$ 150 bilhões na cotação atual). A Apple chegou a se defender da questão citando que não libera os sistemas por questões de privacidade e segurança.

Outro processo famoso

A Comissão Europeia para a Concorrência entrou no noticiário nos últimos anos principalmente por causa de um processo bilionário contra o Google. A entidade aplicou à marca de Mountain View uma multa de “apenas” US$ 5 bilhões (aproximadamente R$ 27 bilhões na cotação atual).

Desde então, o Google tem recorrido para tentar não pagar o valor astronômico. Em audiência realizada na semana passada, a advogada da gigante chegou a dizer que as pessoas escolhem o buscador do Google “porque ele é o melhor”, e não porque a companhia utiliza práticas anticompetitivas.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.

Fontes