Hackers devolvem mais da metade de roubo recorde de criptomoedas

1 min de leitura
Imagem de: Hackers devolvem mais da metade de roubo recorde de criptomoedas
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

Dois dias após o "maior assalto cripto da história", os cibercriminosos responsáveis por desviar mais de US$ 600 milhões (ou R$ 3 bilhões, em conversão direta de moeda) da plataforma de finanças Poly Network seguem devolvendo parcialmente o dinheiro aos responsáveis.

Segundo a própria empresa de transações, US$ 342 milhões em criptomoedas foram devolvidos de forma voluntária pelos responsáveis pelo roubo. O grupo que orquestrou o crime não foi preso até o momento e ainda restam cerca de US$ 268 milhões em Ethereum nas mãos dos hackers.

Arrependidos ou tudo parte do plano?

Analistas consultados pela agência de notícias Reuters alegam que a devolução do valor é compreensível. Segundo especialistas, fazer a lavagem de criptomoedas em quantias tão absurdas e levando em conta a transparência das transações poderia facilitar a identificação da movimentação do dinheiro do roubo. Pela dificuldade do processo, os responsáveis teriam optado por desistir ao menos de parte do valor.

Outra hipótese aponta que a devolução do dinheiro começou após a descoberta de alguns dados de um dos hackers do grupo. De acordo com informações da companhia de segurança Slowmist, o criminoso teria deixado "pegadas digitais" que permitiram a identificação de e-mail e IP.

Entretanto, um suposto documento com perguntas e respostas escrito pelo próprio invasor sobre a operação traz outra teoria. Segundo o texto, a ideia sempre foi devolver o valor após o roubo, já que o objetivo era apenas mostrar as vulnerabilidades graves na plataforma de finanças.

A separação entre as transferências é apenas para que o responsável entre em contato com a Poly Network sem ter a identidade descoberta.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.