PIX pode se tornar uma 'Identidade Digital', diz presidente do BC

1 min de leitura
Imagem de: PIX pode se tornar uma 'Identidade Digital', diz presidente do BC
Imagem: Forbes Brasil/Facebook
Avatar do autor

O presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, afirmou na quarta-feira (24), durante o evento virtual Banco de Compensações Internacionais, que o sistema do PIX, meio de pagamento eletrônico brasileiro, poderia evoluir futuramente para se tornar uma identidade digital dos cidadãos.

Falando em um contexto de inovações tecnológicas, o chefe da maior autoridade monetária do País declarou: "Achamos que a chave usada no PIX pode ser desenvolvida em uma identidade digital no futuro. Tudo da sua vida no dia a dia vai estar conectado ao PIX".

Fonte: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil/ReproduçãoFonte: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil/ReproduçãoFonte:  Marcelo Casal Jr/Agência Brasil 

Tão fácil de usar quanto o WhatsApp

Para embasar suas expectativas, Campos Neto lembrou que os dados mostram que 7% da população brasileira já utilizou o PIX, embora a ferramenta só esteja disponível há pouco mais de três meses. A previsão é parte de uma estratégia do BC para ampliar os serviços oferecidos pelo governo na plataforma digital, como pagamento de impostos e serviços públicos, hoje já disponíveis no PIX.

O presidente do banco dos bancos fez questão de destacar que, nesta semana, o serviço de pagamentos ganhou a funcionalidade de leitura das informações da agenda de telefone, mediante autorização do usuário, o que torna usar o PIX “tão fácil”, segundo Campos Neto, quanto se comunicar pelo WhatsApp.

Esses progressos só se tornaram possíveis, afirma Campos Neto, pela convergência entre mensagens de texto, que as pessoas usam para se comunicar, e conteúdo, que impulsiona o desenvolvimento dos instrumentos de pagamento. Para ele, “após o PIX, muitos novos modelos de negócios estão nascendo".

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
PIX pode se tornar uma 'Identidade Digital', diz presidente do BC