Dia do Consumidor pode ser a nova Black Friday?

2 min de leitura
Imagem de: Dia do Consumidor pode ser a nova Black Friday?
Imagem: Freepik
Avatar do autor

Dia do Consumidor está chegando: em 15 de março, além de ser uma data de conscientização sobre direitos do consumidor e responsabilidades dos vendedores, o comércio brasileiro promete uma série de descontos e promoções para movimentar o mercado.

Já em andamento há alguns anos, a data já é considerada um dia importante para o varejo no calendário. Mas será que ela pode virar um evento tão relevante quanto a Black Friday, que também foi recentemente adotada com sucesso pelo comércio? Há alguns elementos que reforçam a hipótese de que, no mínimo, estamos diante de um novo dia para aquecer o setor.

A escolha da data

O fato de o Dia do Consumidor ser em março é importante. Afinal, são poucas as datas comemorativas ou feriados que movimentam o comércio nesse período — há a Páscoa, mais voltada para chocolates, e o Dia das Mães, que é dois meses depois.

O segundo semestre é mais povoado com comemorações do tipo (Dia dos Namorados, dos Pais, das Crianças e Natal) e costuma ser um peso maior para o bolso da população, enquanto em março ainda há um espaço a ser explorado.

Você pode aproveitar o Dia do Consumidor para fazer compras de Páscoa, por exemplo.Você pode aproveitar o Dia do Consumidor para fazer compras de Páscoa, por exemplo.Fonte:  Freepik 

Há ainda o fator de aproveitar descontos para uma data futura, como acontecem com as compras de Natal feitas durante a Black Friday. Neste caso, é possível caçar descontos para a Páscoa, com compras antecipadas em chocolates, doces em geral ou brinquedos.

Além disso, o fato de o Dia do Consumidor ser um evento coordenado, organizado e com descontos já aquece automaticamente a busca por produtos. De acordo com dados do Statista de 2019, 60% dos consumidores procuram por cupons e descontos na hora de fazer uma compra, o que significa que ofertas preços especiais é de fato uma maneira de chamar a atenção do público.

Nova Black Friday?

Aos poucos, o público brasileiro está se acostumando com a ideia de ter um novo dia para fazer compras em março, especialmente em ambientes online. Segundo uma pesquisa do Social Miner com a OpinionBox, 46,9% do público brasileiro conhecia o Dia do Consumidor, com a porcentagem saltando para 61,4% em 2020.

Até o fato de o comércio eletrônico estar especialmente aquecido ainda em 2021, graças aos novos hábitos adquiridos durante fases mais rigorosas do fechamento do comércio na pandemia, pode ajudar: 47% dos brasileiros aumentaram as compras online em 2020 e esse número pode continuar em alta neste ano.

Data coordenada com promoções costuma atrair o público.Data coordenada com promoções costuma atrair o público.Fonte:  Freepik 

Para chegar ao patamar da Black Friday, entretanto, é outra história. A data já está praticamente consolidada no comércio nacional e tem crescido de forma acelerada. Em 2020, segundo a Ebit/Nielsen, ela bateu recorde de movimentação em compras (R$ 4 bilhões), em um aumento de 25% em relação ao ano anterior — sendo que o valor médio de compras ficou em R$ 679, um número alto que evidencia a movimentação no mercado de itens mais caros, como eletrônicos.

Em resumo, o Dia do Consumidor tende a ser estabelecido no calendário brasileiro como uma data importante para o comércio, com alguns elementos que dão força a esse projeto que está cada vez mais forte. Ele pode não chegar ao patamar da Black Friday, já em outro patamar de consumo, mas é uma forma de movimentar ainda mais o consumo no primeiro trimestre do ano.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
Dia do Consumidor pode ser a nova Black Friday?