Celulares pós-pagos ultrapassam os pré-pagos no Brasil

1 min de leitura
Imagem de: Celulares pós-pagos ultrapassam os pré-pagos no Brasil
Imagem: Unsplash
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

De acordo com relatório divulgado pela Anatel, dados referentes ao mercado de telefonia nacional revelam que, em setembro de 2020, o número de linhas pós-pagas no segmento de celulares ultrapassou o de linhas pré-pagas no Brasil. No total, 50,3% dos mais de 228 milhões de cadastros se valem do método de pagamento após o uso – algo atribuído à popularização de ofertas que contemplam pacotes especiais de WhatsApp e ligações a qualquer operadora.

Nesta categoria, são considerados também os chamados planos controle, um meio-termo do investimento entre os dois citados. De qualquer modo, tais soluções costumam oferecer benefícios aos consumidores, a exemplo de franquia de dados ampliada, descontos em aparelhos e afins. Além disso, a possibilidade de adicionar linhas dependentes e expandir o contrato para os planos familiares costuma atrair clientes.

Apesar de uma virada esperada, a novidade é surpreendente quando se considera que, em fevereiro de 2005, 80,3% das linhas móveis eram pré-pagas, cujo pico se deu em 2010, ano em que 82,6% se encaixavam na categoria. A partir de 2012, houve alta no segmento pós-pago – que, agora, se estabeleceu como o mais utilizado.

Linhas pós-pagas ultrapassam pré-pagas no Brasil.Linhas pós-pagas ultrapassam pré-pagas no Brasil.Fonte:  Unsplash 

Mudança de comportamento

Caracterizados como um movimento importante para a democratização do acesso à telefonia, planos pré-pagos foram muito populares até a disseminação de smartphones, que, contando com aplicativos diversos, incluindo os de mensagens – que exigem pacotes de dados aprimorados –, demandaram a ampliação de soluções. Sendo assim, buscando incentivar a adoção de um modelo de cobrança mais vantajoso, operadoras começaram, em 2017, a lançar planos pós-pagos cada vez mais atraentes, o que, aparentemente deu resultado.

Em relação à competição entre as empresas, a Vivo é a líder isolada, com 38,3% dos contratos. Claro (29,3%), Tim (18,9%) e Oi (11,1%) vêm logo a seguir – sendo que as duas últimas continuam com mais linhas pré-pagas. No caso da Claro, sua presença de mercado foi intensificada após a aquisição da Nextel – pois a companhia adquirida continha, em seu portfólio, 3,3 milhões de linhas, 98,3% pós-pagas.

News de tecnologia e negócios Deixei seu email aqui, e welcome to the Jungle.
Celulares pós-pagos ultrapassam os pré-pagos no Brasil