Elon Musk protesta contra quarentena no Twitter e pede liberdade

2 min de leitura
Imagem de: Elon Musk protesta contra quarentena no Twitter e pede liberdade
Imagem: NASA
Avatar do autor

O CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, está utilizando o Twitter para fazer uma campanha para o fim do isolamento social nos Estados Unidos em tempos de pandemia do novo coronavírus. O empresário não concorda com as políticas de "lockdown" aplicadas no país, que são aquelas mais rígidas em relação ao fechamento do comércio e para manter as pessoas ao máximo em casa.

"Libertem a América agora", postou Musk na madrugada desta quarta-feira (29). Ele ainda parabenizou o estado norte-americano do Texas por tomar uma medida de reabertura de restaurantes, lojas do varejo e outros estabelecimentos comerciais a partir do dia 1º de maio.

Em outra postagem, ele concordou com uma usuária que afirmou que "a coisa mais assustadora durante essa pandemia não é o vírus em si, mas é ver a América tão facilmente curvada e desistindo da sua liberdade comprada com sangue para políticos corruptos que prometem a eles segurança".

Baseado em estudo

Em outra publicação, o empresário voltou a pedir que "devolvam a liberdade de volta às pessoas" ao compartilhar um artigo do jornal The Wall Street Journal. O texto é embasado em um estudo que compara os EUA com países europeus e mostra que as medidas de isolamento social não salvam tantas vidas quanto o esperado.

Só há um porém: a pesquisa também diz que outros fatores são importantes, como densidade populacional e uso de transporte público. Ou seja, cidades como Nova York, com muitas pessoas circulando ao mesmo tempo por espaços fechados e em aglomerações, podem sim se beneficiar de uma quarentena rápida e mais rígida, enquanto cidades do interior poderiam flexibilizar as medidas.

Até agora, os Estados Unidos registraram 58.964 mortes por causa da covid-19 e já ultrapassou a marca de 1,04 milhão de casos confirmados.

Histórico de críticas

Elon Musk se destacou na indústria desde antes de o novo coronavírus ser declarado uma pandemia pelas posições contrárias às medidas de segurança. No início de março, ele afirmou que o pânico em relação à covid-19 era "estúpido" e que acidentes de carro matavam mais do que a doença. Ele também defendeu o uso da cloroquina para tratamento de infectados antes mesmo de estudos que verificassem a eficácia do medicamento — pequisas publicadas um mês depois mostraram uma alta taxa de morte entre pacientes que receberam o remédio.

Por outro lado, a Tesla está desenvolvendo respiradores com base em peças de seus automóveis elétricos e deve fornecer equipamentos para hospitais no país.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Elon Musk protesta contra quarentena no Twitter e pede liberdade