Huawei deve parar de comprar memórias da Samsung em cinco anos

1 min de leitura
Imagem de: Huawei deve parar de comprar memórias da Samsung em cinco anos
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Samsung e a Huawei estão entre as empresas que mais vendem celulares no mundo e a competição entre as companhias está cada vez mais acirrada no setor. Ainda assim, as duas firmas também fazem negócios, e a fabricante chinesa é uma das principais clientes da sul-coreana no mercado de memórias. Esse cenário, porém, deve acabar mudando na próxima década, de acordo com o Business Korea.

Graças ao grande volume de celulares vendidos, a Huawei é a principal cliente da Samsung no segmento de memórias DRAM e NAND para dispositivos móveis. Após a guerra comercial entre China e Estados Unidos, porém, a companhia pode correr atrás de mais independência em diversos setores, inclusive no de semicondutores. De acordo com o Business Korea, a fabricante chinesa deve se aproveitar do programa de governo China Manufacturing 2025 e começar a produzir seus próprios componentes em até cinco anos.

(Fonte: Tech Radar/Reprodução)

O China Manufacturing 2025 é um programa de incentivo governamental que visa influenciar grandes empresas da indústria chinesa a se tornarem independentes de tecnologias do exterior. A estratégia econômica acabou ganhando força após os Estados Unidos impedirem que a Huawei fizesse negócios com companhias do país. Se os planos do comando de Pequim derem certo, o jogo pode até virar e, nos próximos anos, quem sabe a dona do Mate 30 deixe de usar soluções americanas por livre e espontânea vontade.

Independência da Huawei pode gerar quedas

Enquanto a possível independência pode ser uma grande jogada para a Huawei, a tendência é que suas atuais clientes acabem perdendo bastante dinheiro. Uma estimativa feita logo após a imposição do bloqueio dos Estados Unidos apontou que a saída da fabricante chinesa do programa Android poderia causar um prejuízo de quase US$ 500 milhões para a Google.

No caso da Samsung, o rombo também pode ser grande: o setor de memórias é um dos principais segmentos da companhia e constantemente acaba puxando os números fiscais para baixo quando a demanda por componentes cai. A Huawei é a segunda empresa que mais comercializa smartphones no mundo e chega a vender mais celulares na China do que a Apple globalmente. Com isso, com certeza a fabricante sul-coreana vai sentir falta da concorrente.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Huawei deve parar de comprar memórias da Samsung em cinco anos