Facebook: áudio vazado revela incômodo de Zuckerberg com governo

2 min de leitura
Imagem de: Facebook: áudio vazado revela incômodo de Zuckerberg com governo
Avatar do autor

O Facebook se vê de novo no meio de um vazamento de informações; dessa vez, o áudio de duas sessões de perguntas e respostas entre Mark Zuckerberg e funcionários jogou lenha na fogueira acesa pela senadora democrata Elizabeth Warren, candidata à presidência estadunidense nas eleições de 2020.

Não apenas Warren como também outros candidatos lançaram a proposta conhecida como #BreakUpBigTech: desmembrar grandes corporações, como Google, Amazon e o próprio Facebook. Em um trecho dos áudios vazados e publicados pelo site The Verge, a resposta de Zuckerberg não precisa de interpretação:

"Estou preocupado que alguém tente desmembrar nossa empresa. Há a pergunta sobre o estado de direito que, como alguém que administra uma empresa que opera de várias maneiras, eu faço. Devo dizer que uma das coisas que mais amo e aprecio em nosso país é termos um estado de direito realmente sólido, muito diferente de outros lugares do mundo.

Portanto, pode haver um movimento político de pessoas que estejam com raiva das empresas de tecnologia ou preocupadas com a concentração do setor [...]. Você tem alguém como Elizabeth Warren, que pensa que a resposta é desmembrar as empresas... Se ela se eleger presidente, poderemos ter um processo judicial, mas aposto que o venceríamos. Isso ainda é ruim para nós? Sim. Eu não quero ter que processar nosso próprio governo... Mas, no fim das contas, se alguém tenta ameaçar a sua existência, você vai para o tatame e luta."

A senadora não demorou para responder.

Inquietações dos funcionários não ficaram sem resposta

Zuckerberg reúne os funcionários em sessões de perguntas e respostas. (Fonte: The Verge/Reprodução)

Em uma comunicação geralmente mais sincera do que costuma usar em público, Zuckerberg falou sobre os desafios que a empresa enfrenta, a concorrência do TikTok, o lançamento da criptomoeda Libra e a proteção aos seus 30 mil moderadores de conteúdo.

"Alguns dos relatórios, eu acho, são um pouco exagerados. Não é como se a maioria das pessoas estivesse apenas vendo coisas terríveis o dia inteiro. Há coisas muito ruins com as quais é preciso lidar, e é preciso garantir que as pessoas recebam o aconselhamento, o espaço e o treinamento certos, façam pausas e obtenham o apoio necessário à sua saúde mental — isso é realmente importante."

A transcrição dos áudios gravados você pode conferir aqui (em inglês).

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Facebook: áudio vazado revela incômodo de Zuckerberg com governo