Imagem de: Startup de viagens espaciais da China quer acabar com o domínio da SpaceX

Startup de viagens espaciais da China quer acabar com o domínio da SpaceX

1 min de leitura
Avatar do autor

A China já é, há algum tempo, uma pedra no sapato dos mercados norte-americanos de tecnologia em smartphones e infraestrutura de telecomunicações. Agora, uma empresa local está começando a se destacar em outro setor que atualmente é dominado pelos Estados Unidos: a exploração espacial.

Uma startup chinesa chamada Galactic Energy Aerospace Technology anunciou recentemente avanços significativos no setor, mais especificamente ao desenvolver um foguete chamado Pallas, que seria um modelo de impulsão com porte médio e motor que roda a partir de combustível líquido, uma espécie de rival direto do já consolidado Falcon 9, criado pela SpaceX.

O Pallas tem um gerador a gás e um motor de 40 toneladas que se alimenta de uma mistura de oxigênio líquido e querosene. Testes de ignição foram realizados no início do mês e tiveram sucesso, e há ainda outra linha de foguetes de menor porte na família: Ceres, nome também relacionado com a mitologia grega.

Se cuida, Elon Musk

A empresa foi fundada em fevereiro do ano passado e quer revolucionar o setor com tecnologias próprias, mas ela não está sozinha: outras companhias privadas de transporte e exploração espacial surgiram nesse período na China, com sonhos ambiciosos e muito investimento.

Um dos componentes do gerador a gás desenvolvido pela empresa. (Fonte: Global Times/Reprodução)

Se todos os testes futuros derem certo, o Pallas-1 deverá ser lançado em dezembro de 2022. Já o Ceres-1, para transportar satélites e equipamentos leves, poderá decolar já em 2020.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Startup de viagens espaciais da China quer acabar com o domínio da SpaceX