Imagem de: Dona da Google também se prepara para deixar a China

Dona da Google também se prepara para deixar a China

1 min de leitura
Avatar do autor

Em mais um capítulo da novela sobre a guerra comercial entre China e Estados Unidos, a Alphabet, dona da Google, deve transferir algumas operações para fora do país asiático. A administração Trump está taxando itens produzidos na China, como placas-mãe, smartphones, videogames e computadores, em até 25%, o que pode afetar as vendas da empresa em territória americano.

A Google/Alphabet já estaria levando a produção de seus termostatos e placas-mãe da sua subsidiária Nest para Taiwan. Autoridades dos Estados Unidos alegam questões de segurança com relação às placas-mãe fabricadas na China. A empresa, porém, não teria entrado em detalhes sobre esse tema com seus fornecedores.

A Apple e a Nintendo também vêm sofrendo com a crise entre os dois países. Isso porque Foxconn possui cerca de 75% de sua produção dentro da China, o que pode encarecer a produção e afetar as vendas da Maçã nos EUA. A fornecedora já havia se manifestado dizendo que se fosse preciso, poderia se realocar em outros países, em especial na Índia.

Enquanto isso a Nintendo já estaria deixando o país para fugir das tarifas impostas pelos Estados Unidos: hoje, parte da fabricação do Nintendo Switch já ocorre fora da China e a fabricante pode intensificar a migração para o sudeste asiático para evitar prejuízos nos EUA.

Outro lado

Do outro lado está a Huawei, que vem perdendo o suporte do Android. A fabricante chinesa também está deixando de receber chips produzidos nos Estados Unidos e a Foxconn parou com a produção de alguns modelos de smartphone da Huawei.

Tudo indica que a situação ainda está longe de ser resolvida. Não é possível afirmar se as tarifas impostas pela administração Trump serão permanentes. Porém a saída das empresas da China devem afetar o país de diversas maneiras. Vale lembrar que o final da série Game of Thrones foi bloqueada no país asiático, o que mostra que os impactos vão além de placas-mãe e video games.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Dona da Google também se prepara para deixar a China