Foi divulgado hoje (29) o relatório “O estado da experiência na rede móvel”, organizado pela Opensignal, empresa especializada no mapeamento de experiência móvel. A pesquisa analisou os cinco principais indicadores de qualidade e abrangência da conexão 4G em 87 países, às vésperas do que chama de "revolução 5G".

O resultado não foi tão positivo para os países da América Latina. Enquanto nações europeias e a Coreia do Sul usufruem de alta velocidade e dispõem de um ambiente preparado para a 5G, aqui ainda são encontrados problemas na 4G.

Experiência de vídeo

Grande parte dos países latino-americanos tem classificação baixa para experiências de vídeo em 4G, sendo Bolívia, Argentina, México e Paraguai os mais bem colocados da região nesse ranking. De acordo com a avaliação do relatório, nenhum dos 87 países analisados oferece uma excelente capacidade de vídeo, mas alguns chegam perto, como Noruega e Hungria.

gráficoFonte: Relatório “O estado da experiência na rede móvel”, Opensignal

Disponibilidade da 4G

Na América Latina, apenas Peru e Panamá apresentam pontuação acima de 80% no quesito disponibilidade  a melhor colocação ficou com a Coreia do Sul, com 97,5% de oferta da 4G. O Brasil está dentro da média dos países latino-americanos, entre 70% e 80%.

graficoFonte: Relatório “O estado da experiência na rede móvel”, Opensignal

Experiência de velocidade de download

Nesse item, o Brasil figura, ao lado do México, como destaque na região, registrando 13 Mbps e 14,9 Mbps respectivamente. A média dos latino-americanos (de 10 a 15 Mbps), porém, é menos de um terço da experiência de velocidade de download registrada em países como a Coreia do Sul, que obteve a velocidade de 52,4Mbps, a mais alta apontada pela pesquisa.

Experiência de latência

Esse indicador mostra a qualidade desde a captura do vídeo até sua transmissão via streaming para dispositivos conectados à 4G. O Chile é destaque nessa categoria na região, registrando 52,2 ms. Quase todos os outros latino-americanos pesquisados registraram pelo menos o dobro da velocidade do país com a experiência de latência mais rápida: Cingapura, com 30,7 ms.

graficoFonte: Relatório “O estado da experiência na rede móvel”, Opensignal

Estamos prontos para a 5G?

O relatório mostrou que ainda há muito para se caminhar na América Latina dentro do espectro 4G. Países com índices mais avançados, como os asiáticos, estão mais preparados para receber a tecnologia 5G, apesar de ainda ser muito cedo para sua implementação plena.

De olho nesses números, podemos imaginar que, pelo menos em um futuro próximo, não há perspectivas para os países latino-americanos igualarem seus índices ao mais avançados. Pelo contrário, a instalação da 5G nestes pode aumentar ainda mais a desigualdade nos pontos avaliados.

Isso não quer dizer que teremos um desempenho negativo. Por mais que os índices não sejam igualados, ou ao menos aproximados, a 5G tem o potencial de melhorar a experiência dos usuários de redes móveis em todas as regiões.