A essa altura você já deve estar bem ciente da suspensão imposta por Trump às companhias chinesas, o que envolve várias companhias estadunidenses, a exemplo da Google. A companhia de Mountain View vai deixar de dar suporte para seus serviços relacionados ao Android nos dispositivos da Huawei. A chinesa vem se preparando para esse cenário há algum tempo e já teria até sua própria Play Store alternativa.

Dados vieram de cinco pessoas e um documento interno da Huawei

Segundo o Bloomberg, há evidências de que a companhia oriental esteja construindo sua própria loja de aplicativos na surdina nos últimos meses. No início de 2018, a Huawei reuniu desenvolvedoras, com objetivo de ajudá-las a entrar no mercado chinês de smartphones. O resultado foram softwares desenvolvidos especialmente para o App Gallery, que já está presente em seus aparelhos, inclusive nos Honor.

Isso veio de cinco pessoas e documentos internos, que também mostra o interesse da gigante asiática de ampliar a penetração na Europa, que representa 20% de seu mercado, em 22 países — incluindo Espanha, Itália e Holanda.

Bem, com o iminente fim das atualizações da Google e o “Plano B” da Huawei se desenhando, é de se esperar que a chinesa realmente tente criar seu ecossistema. O problema vai ser os consumidores aceitarem sua nova proposta, que pode não contar com outros apps norte-americanos populares (Facebook, Twitter, Pinterest, etc). Aguardamos os próximos episódios.

Assinatura The BRIEFVenha para o The BRIEF

Cupons de desconto TecMundo: