“Plano B”: Huawei tem seu próprio SO caso não possa mais utilizar o Android

1 min de leitura
Imagem de: “Plano B”: Huawei tem seu próprio SO caso não possa mais utilizar o Android
Fonte: Engadget
Avatar do autor

Huawei tem feito bastante barulho mundo afora, não somente pela expansão de seus produtos e as inovações de seus aparelhos, mas também por conflitos diante da resistência liderada pelos Estados Unidos — que acusam a chinesa de espionagem e de contribuir com países que sofrem sanções ianques, como o Irã.

Essa treta pode e está chegando em níveis que podem atrapalhar os negócios da gigante asiática em determinadas praças. O CEO Richard Yu está ciente dos desafios e, embora tenha dito que gosta de “trabalhar com ecossistemas”, como os da Google e Microsoft, afirma que tem planos de contingência para diversos cenários.

“E se um dia a Huawei não puder utilizar o Android” é um deles. Caso não seja mais possível confiar nas companhias estadunidenses, Yu adiantou que a companhia conta com seu próprio sistema operacional como “plano B”. Aliás, a ideia é que, futuramente, a companhia venha utilizar essa alternativa como diretriz principal.

Huawei quer diminuir rapidamente o preço do dobrável Mate X

Em entrevista ao jornal alemão Die Welt, Yu também falou sobre o mercado de smartphones e inovação, em especial sobre seu dobrável, o Mate X, apresentado recentemente durante o Mobile World Congress (MWC) 2019, em Barcelona. O CEO diz que a ideia é tornar o aparelho mais popular, com uma rápida queda de preços.

huaweiFonte: Huawei

“Inicialmente, o smartphone dobrável será vendido como um produto premium. Mas, posteriormente, ele entrará no segmento intermediário e, com o tempo, poderemos vendê-lo abaixo dos 1 mil euros (US $ 1.128 ou R$ 4.307). Para isso, precisamos de um a dois anos, e para chegarmos aos 500 euros levaremos mais tempo”, comentou. “É claro que isso também depende de quão bem o dispositivo será aceito. Podemos acelerar a produção em massa a qualquer momento.”

Yu disse estar trabalhando em telas realmente grandes, de 100 a 200 polegadas, visando novos produtos, e celebrou as mais de 10 milhões de unidades comercializadas com o Mate 20. Ele também confirmou mais uma vez os planos de superar a Samsung e chegar ao topo do mercado global de smartphones, principalmente com a ajuda dos novos flagships, o P30 e o P30 Pro, com estreia prevista para o final deste mês.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
“Plano B”: Huawei tem seu próprio SO caso não possa mais utilizar o Android