Quando alguém usa a palavra “desapega”, é difícil não lembrar imediatamente da OLX, mas nem todo mundo tem uma ideia da dimensão da companhia que virou sinônimo de classificados online no Brasil. Presente por aqui desde 2010, ela apresentou um 2018 sólido ao se tornar rentável e planeja investimentos pesados nos próximos meses para consolidar a sua ascensão.

As origens da OLX estão na Argentina, quando, em 2006, ela foi criada por Alex Oxenford e Fabrice Grinda. No Brasil desde 2010, o marketplace foi adquirido em 2011 pela sul-africana Naspers e, em 2015, fundiu-se ao rival Bom Negócio, da norueguesa Schibsted, transformando o país no maior mercado da empresa em todo o planeta.

A OLX Brasil planeja investir R$ 250 milhões e contratar 120 novos funcionários em 2019.

Atualmente, a OLX Brasil figura entre as maiores empresas tech em funcionamento no país e utiliza tecnologia 100% desenvolvida em território nacional. Tudo isso dá suporte a um “monstro” dos negócios virtuais que triplicou a sua receita nos últimos três anos e planeja um investimento de R$ 250 milhões para 2019, valor 25% superior ao de 2018.

2018 dos ovos de ouro

A OLX começou a monetização do seu negócio apenas em 2015 e hoje são três as suas fontes de receita: anúncios impulsionados, publicidade e assinatura para negócios profissionais, como imobiliárias e concessionárias — vale destacar que a empresa não vende nada propriamente dito, mas é um classificado online que faz a ponte entre vendedores e compradores.

Como estamos falando de uma plataforma que recebe 50 milhões de visitantes únicos por mês teve uma média de 9,1 bilhões de pageviews por mês apenas em 2018, é natural pensar em quanto isso se converte em negócios. Tal volume de acessos resultou na conclusão de 24 milhões de negociações em 2018, uma média de 2 milhões de vendas por mês e de 50 negócios fechados por minuto.

Traduzindo tudo isso em cifras, essa audiência garantiu um faturamento de R$ 312 milhões no último ano, quantia 70% superior ao acumulado em 2017. Os números impressionantes fizeram da OLX Brasil o nono maior classificado do mundo em 2018 segundo o AIM Group.

2019: investimento e modernização

Hoje, a OLX Brasil tem cerca de 650 funcionários em seus dois escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo, mas a expectativa é aumentar o time em quase um quinto para garantir os avanços de inteligência artificial que darão suporte ao crescimento e à modernização dos próximos anos.

“Estamos investindo fortemente em tecnologia para modernizar a plataforma, que é desenvolvida 100% no Brasil”, comenta o presidente da OLX Brasil Andries Oudshoorn. “Em 2019, vamos contratar 120 profissionais em Produto e Tecnologia para avançar ainda mais nos projetos de Machine Learning.”

Se os números atuais já impressionam e fazem da OLX Brasil o principal nome do setor de classificados online do país, o reforço no investimento em pessoas e tecnologia parecem abrir possibilidades ainda mais reluzentes para a companhia nos próximos anos.