Elon Musk continuará com o cargo de CEO da Tesla mesmo após uma série de tweets que acabaram por levar o executivo e fundador da companhia de carros elétricos ao tribunal. No entanto, ele precisará fechar um acordo para dar o caso como encerrado. Nesta quinta-feira (4), Musk foi a uma corte em Nova York após a Comissão de Títulos e Câmbios dos Estados Unidos (SEC) levar o caso para a justiça.

Essa confusão começou após Musk tweetar que teria fundos garantidos para tornar a Tesla uma companhia privada novamente cobrando US$ 420 por ação. A SEC denunciou que o executivo não tinha essa garantia no momento em que fez o anúncio, classificando a frase como “falsa” e “enganosa” e o CEO da empresa como alguém “inconsequente”. Em reação ao tweet, as ações da Tesla subiram 10% naquele dia.

Por causa disso, Musk fez um acordo com a agência federal do governo norte-americano concordando em pagar uma multa, deixar sua posição no conselho da Tesla e aceitar que os tweets com anúncios sobre a empresa fossem revisados por um advogado antes da publicação. No entanto, Musk parece ter descumprido o acordo ao tweetar outra informação enganosa no início deste ano, o que fez a SEC buscar a justiça.

No encontro desta semana, a juíza federal responsável pelo caso acabou dando um prazo de 15 dias para que Musk e SEC cheguem a um acordo sobre o caso. Se isso não acontecer, ela prometeu se pronunciar com uma nova decisão. Por enquanto, Elon Musk continuará atuando como CEO da companhia.