A Xiaomi está correndo atrás do prejuízo após ter desistido do mercado brasileiro por conta de uma estratégia de entrada fracassada. A companhia agora tenta impedir que a empresa nacional JCell registre no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) a marca “MiStore”, solicitada originalmente em novembro de 2018 à organização.

Em fevereiro deste ano, a Xiaomi protestou o registro da JCell. Não sabemos quais argumentos a chinesa usou, mas podemos imaginar que se trate de uma defesa do nome de sua loja internacional, a própria “MiStore”, usada em todos os mercados onde atua.

O TudoCelular, contudo, informou erroneamente que a Xiaomi havia feito o registro da marca “MiStore” no Brasil, quando, na verdade, a companhia simplesmente tenta barrar a aprovação de um registro feito por uma empresa brasileira. O site inclusive deu essa pista como uma indicação de que a Xiaomi estaria realmente investindo em seu retorno para o Brasil.

mistoreXiaomi pode ter perdido a oportunidade de registrar "MiStore" no Brasil (fonte: Tecnoblog)

De fato, Xiaomi tem uma parceria firmada com a DL que pretende trazer o Pocophone F1 e mais um smartphone intermediário para o Brasil nos próximos meses. Contudo, nem a DL nem a Xiaomi quiseram discutir o registro do nome “MiStore” no INPI.

A JCell, por sua vez, descreve o seu site da MiStore como uma loja especializada em produtos Xiaomi. Anteriormente, esse endereço já havia se passado de “revendedor oficial da Xiaomi” no nosso país.

Não se sabe quando o processo de registro da marca “MiStore” será finalizado, mas, considerando a oposição da Xiaomi ao pedido da JCell, é possível isso leve mais tempo que o normal para ser formalizado. Também não temos ideia de quem tem mais chances de vencer a disputa.

mistoreLoja MiStore paralela já em operação no Brasil (Fonte: Tecnoblog)

A Xiaomi tem a vantagem de já possuir essa marca em outros países, podendo comprovar que o registro da JCell é uma espécie de cópia. Por outro lado, sua concorrente pode se valer do fato de que Xiaomi não estar presente oficialmente no Brasil desde de 2016, quando abandonou nosso mercado mobile.

Apesar dessa peleja, a Xiaomi tem uma série de marcas registradas no Brasil desde 2013. Isso inclui os termos “Mi”, “Xiaomi”, “Redmi”, “Mi WiFi” e por aí vai. Confira alguns dos registros da chinesa em nosso país:

mistoreXiaomi tem vários registros no INPI, mas não para "MiStore" (fonte: Tecnoblog)