Já se sabe que a Apple está há algum tempo trabalhando para substituir os processadores Intel em dispositivos Mac e MacBook. Essa notícia veio à tona mais uma vez, agora com informações de profissionais de ambas as empresas.

Segundo o site Axios, desenvolvedores da Apple e da Intel esperam que os processadores ARM, projetados pela maçã, comecem a equipar notebooks e desktops no próximo ano (2020). A mudança, sem dúvidas, causará impacto nas contas da Intel, visto que a Apple é um dos seus maiores e mais fiéis clientes.

(Imagem: Divulgação/Apple)

Embora ainda não esteja inserida no mercado de CPUs para notebooks e desktops, a Apple já tem experiência com ARM; iPhones e iPads já são equipados com os próprios chips há várias gerações. Além disso, a série “A” de processadores é conhecida pelo bom desempenho single-core e dual-core.

E esse não é o único sinal. Segundo a agência de notícias Bloomberg, a Apple também estaria trabalhando em um novo projeto, com lançamento previsto para 2021. Com codinome Marzipan, a plataforma seria responsável por unificar o desenvolvimento de aplicações para iPhone, iPad e Mac. Além disso, também é esperada a liberação de ferramentas para desenvolvedores portarem apps do iPad para Mac e, posteriormente, do iPhone para Mac.

(Imagem: Divulgação/Apple)

Substituição gradual

No entanto, o cenário não é tão favorável. Embora reconhecidos pela boa performance no mercado mobile, não se sabe como os processadores lidarão com as exigências de um usuário de desktop. Isso sem contar com a competitividade vinda do ótimo funcionamento dos processadores da linha Intel Core e Xeon, que atualmente equipam os dispositivos Apple.

É bastante provável que a mudança seja gradual: começando com o MacBook de mais baixa representação — o que pode aprimorar a autonomia de bateria e reduzir a temperatura da máquina — e avançando à medida que a Apple melhore o desempenho dos seus chips.

Como você acha que será o resultado dos chips Apple em desktops? Comente abaixo!

Cupons de desconto TecMundo: