Facebook negocia com EUA multa bilionária por escândalos sobre privacidade

1 min de leitura
Imagem de: Facebook negocia com EUA multa bilionária por escândalos sobre privacidade
Avatar do autor

Devido aos escândalos de privacidade nos quais o Facebook está envolvido – como o caso da Cambridge Analytica e da influência da Rússia na eleição presidencial norte-americana –, a rede social está tentando negociar uma multa bilionária que deve receber da Comissão Federal de Comércio (FTC) dos Estados Unidos.

Caso tudo ocorra como parece, vai ser a maior multa já dada pela organização governamental norte-americana para uma empresa de tecnologia ou não, mesmo com o valor ainda não definido exatamente. O recorde, até hoje, aconteceu com a Google, que teve que pagar US$22,5 milhões, cerca de R$ 83,3 milhões, por quebrar um acordo com o governo para proteger os dados dos consumidores.

Punição exemplar

Esse inquérito contra o Facebook começou no mês de março de 2018. Nessa ocasião, a FTC abriu uma investigação para apurar se a rede social havia manipulado incorretamente os dados privados de usuários. Ao que parece, os dois lados da disputa ainda estão longe de chegar a um acordo. O problema é que se a negociação falhar, o inquérito pode ir para os tribunais.

Isso mostraria que a FTC está agora preparada para impor suas ordens de consentimento

“O Facebook enfrenta um momento de avaliação e só vão ser bem-sucedidos através de uma ordem da FTC com penalidades severas e outras sanções que impedem esse tipo de má conduta sobre privacidade no futuro”, disse o senador democrata Richard Blumenthal, do estado de Connecticut.

Com uma multa acentuada e outras penalidades, Marc Rotenberg, diretor executivo do Electronic Privacy Information Center, disse que “isso mostraria que a FTC está agora preparada para impor suas ordens de consentimento”.

Um representante do Facebook disse que a empresa não vai comentar a reportagem original do The Washington Post, mas acrescentou: “Estamos cooperando com autoridades nos EUA, Reino Unido e outros países. Fornecemos testemunho público, respondemos a perguntas e prometemos continuar nossa assistência conforme seu trabalho prossegue”.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Facebook negocia com EUA multa bilionária por escândalos sobre privacidade