EUA: Deputada critica Google, Facebook e Microsoft por ação antiambiental

1 min de leitura
Imagem de: EUA: Deputada critica Google, Facebook e Microsoft por ação antiambiental
Avatar do autor

A deputada federal democrata Alexandria Ocasio-Cortez, de Nova York, vem causando uma revolução no Senado norte-americano, por questionar os principais nomes da ala republicana e se engajar em várias causas. Nesta segunda-feira (28), Alexandria e Chellie Pingree, representante democrata do Maine, questionaram a direção do GoogleFacebookMicrosoft por apoiar evento antiambiental.

Documento também cobra o compromisso que as companhias assinaram pela redução da emissão de carbono e busca por energia renovável

Um documento protocolado no congresso estadunidense cita os CEOs Sundar Pichai, Mark Zuckerberg e Satya Nadella em um texto sobre a “importância do papel de suas companhias enquanto nos preparamos para tomarmos medidas mais abrangentes nas mudanças climáticas”. Na semana passada, as gigantes da tecnologia patrocinaram a conferência LibertyCon, que promove a negação às alterações climáticas causadas pelo impacto da poluição e das intervenções humanas.

Alexandria e Chellie lembraram dos compromissos que as gigantes da tecnologia assinaram pela redução da emissão de gás carbônico e a busca por energia renovável. “Infelizmente, o exemplo que vocês apresentaram promovendo a sustentabilidade e a ciência baseada em evidências é comprometido pelo seu apoio implícito à sessão organizada na LibertyCon.”

Google, Facebook e Microsoft respondem

Após o questionamento, as companhias deram um posicionamento em comunicados ao periódico Quartz. Um porta-voz da Google disse que “todos os anos, patrocinamos organizações de todo o espectro político para promover leis de tecnologias fortes”. "Como deixamos claro em nosso relatório de transparência de políticas públicas, o patrocínio do Google ou a colaboração com uma organização terceirizada não significa que endossamos toda a agenda da organização ou concordamos com outros oradores ou patrocinadores."

O Facebook enviou à Quartz seu relatório de engajamento, que descreve suas políticas de patrocínio, e apontou que apenas duas sessões no evento foram sobre os níveis de dióxido de carbono, sendo o outro um debate a respeito dos impostos sobre o carbono.

A Microsoft não estava disponível e por enquanto não comentou o assunto.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
EUA: Deputada critica Google, Facebook e Microsoft por ação antiambiental