Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei, foi detida no Canadá, na semana passada, a pedido do governos dos Estados Unidos, sob a acusação de violar sanções comerciais impostas pelos norte-americanos ao Irã. Hoje (12) mesmo ela foi solta, com o pagamento de uma fiança no valor de US$ 7,5 milhões e outras imposições, mas o episódio promete reverberar em uma crise com a China, que já vem travando uma batalha comercial e tecnológica com os ianques há algum tempo e esse conflito pode chegar também ao país vizinho de Donald Trump.

Isso porque, assim que Meng foi presa, a China ameaçou o Canadá de “graves consequências” e apreendeu o diplomata canadense Michael Kovrig, aparentemente sem motivo algum. Isso tudo deixa a situação entre os ocidentais e os orientais ainda mais delicada.

Sabendo que a situação pode piorar e isso não faz bem para a economia dos Estados Unidos, Trump adiantou que faz “qualquer coisa que seja boa para nosso país”. “Se for necessário, posso intervir, se acreditar que isto será bom para o maior acordo comercial já feito; algo muito importante e bom para a segurança nacional”.

huaweiA diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou. Fonte: Reuters

Segundo o mandatário estadunidense, funcionários da Casa Branca conversaram sobre o caso com o pessoal do departamento de Justiça e com representantes chineses — mas, de acordo com o próprio Trump, ainda não houve discussão direta com o presidente Xi Jinping ou qualquer outro líder.