Em uma discussão no Twitter durante a tarde desta terça-feira (28), o bilionário Elon Musk, diretor-executivo da Tesla e da SpaceX, voltou a insinuar que um dos homens que trabalhou no resgate do grupo de garotos presos em uma caverna na Tailândia seria pedófilo.

A discussão começou quando Musk afirmava não ter chorado durante uma entrevista dada ao New York Times. No texto da entrevista, o jornalista diz que Musk “alternou entre o riso e as lágrimas”, mas o empresário contestou essa versão, afirmando que sua voz falhou em um momento, mas que ele não teria chegado a chorar. Procurada pela CNN, a equipe do jornal manteve a posição de que a descrição do repórter foi correta, afirmando ainda não ser verdade que a voz de Musk falhou apenas uma vez.

Na sequência dos tweets, o escritor Drew Olanoff disse que essa suposta “dedicação aos fatos e à verdade” poderiam ter sido melhor utilizadas quando Musk acusou um homem de pedofilia. Como resposta, o empresário voltou a sugerir que o homem em questão seria pedófilo, questionando o fato de ele não ter levado o caso à justiça. “Você não acha estranho que ele não tenha me processado? Ofereceram serviços jurídicos gratuitos para ele”, disse Musk.

Um tweet.

Nos próximos tweets, Musk perguntou se Olanoff teria feito alguma investigação sobre o caso. “Então você não fez nada e ainda diz ser alguém que busca a verdade”, encerrou o bilionário.

Na época da primeira acusação, o empresário chegou a pedir desculpas. Ele disse ter ficado com raiva ao ouvir os comentários negativos do especialista nas cavernas da região sobre as cápsulas submarinas criadas por Musk para ajudar no resgate, mas que isso não era justificativa para o que tinha dito. Parece que essa vai ser mais uma adição ao período já conturbado na vida do empresário.