Amazon entrou na briga com a Apple e a Alphabet, conglomerado-mãe da Google, na disputa para se tornar a primeira empresa a alcançar o valor de mercado de US$ 1 trilhão. A gigante do varejo online de Jeff Bezos alcançou lucro recorde de US$ 2,5 bilhões desde sua criação e suas ações alcançaram alta de 3,99% chegaram a US$ 1.880,05 na manhã desta sexta-feira (27)

Alta das ações desde o início do ano é de 54%

A companhia apresentou os números nesta quinta-feira (26), com o registro de US$ 2,5 bilhões no segundo trimestre. O lucro operacional ficou entre US$ 1,4 bilhão e US$ 2,4 bilhão, superando e muito os US$ 347 milhões do mesmo período do ano passado e também a expectativa dos analistas da Thomsom Reuters I/B/E/S, que esperavam algo em torno de US$ 843 milhões.

Houve um crescimento de 39% na receita líquida, que foi de US$ 52,89 bilhões, também acima da estimativa média de US$ 53,4 bilhões. Os grandes catalisadores desse desempenho foram os serviços em nuvem da Amazon Web Services (AWS), responsáveis por 55% do faturamento operacional, e a verba obtida com publicidade.

amazonAmazon Web Services tem sido o grande destaque da Amazon no mercado

A empresa aposta em cifras ainda maiores para o terceiro trimestre, algo entre US$ 54 bilhões e US$ 57,5 bilhões — em 2017, as vendas geraram US$ 43,7 na mesma época. A notícia é um alívio para os investidores de tecnologia, que viram o Facebook perder US$ 120 bilhões em valor de mercado e suas ações despencarem 19%.

Os papeis da Amazon subiram nada menos que 54% desde o início do ano — e por isso, seu valor de mercado chegou a US$ 877,29 bilhões, logo atrás da Alphabet (US$ 888,286 bilhões) e Apple (US$ 954,569 bilhões), de acordo com a Economática. Se continuar com essa performance, pode ser que aquela lojinha de livros online que começou em 1994 se torne muito em breve a primeira grande empresa a chegar a US$ 1 trilhão de valor de mercado.