As coisas continuam ruins para a divisão de dispositivos móveis da LG Electronics. A companhia sul-coreana divulgou seus resultados financeiros nesta quinta-feira (26), mostrando que o setor responsável pelos smartphones apresentou perdas operacionais no valor de US$ 171,95 milhões (R$ 636 milhões) entre os meses de abril e junho deste ano. Essa divisão gerou lucros em apenas um trimestre dos últimos quatro anos, exatamente na época do lançamento do LG G6.

Para a LG, a baixa é justificada pela queda global no mercado de smartphones — cujas vendas caíram pela primeira vez na história durante o início do ano —, nos gastos cada vez maiores com marketing para fazer o lançamento dos aparelhos e em baixas vendas de celulares intermediários na América Latina. Apesar disso, a fabricante diz que pretende continuar investindo para aumentar as vendas tanto do G7 ThinQ como do V35 ThinQ.

Dois celulares.

Ainda é cedo para saber se as mudanças no esquema de lançamentos da LG vão gerar algum impacto nas vendas, mas os números apresentados são um sinal de que esse plano não está dando muito certo. Em janeiro, a companhia anunciou que não iria mais lançar necessariamente um smartphone topo de linha todo ano apenas porque suas concorrentes fazem o mesmo, focando em produzir novos aparelhos apenas quando considerasse que eles são necessários.

A boa notícia para a LG é que todas as outras principais divisões da empresa estão indo bem, o que inclui os setores responsáveis por itens eletrônicos de entretenimento e eletrodomésticos. Os lucros gerais da companhia subiram 16% em relação ao mesmo período do ano passado, algo atribuído as boas vendas de TVs nos últimos meses.

Vale lembrar que esses números valem apenas para a LG Electronics, uma organização diferente da LG Display, embora ambas sejam parte da LG Corporation. A LG Display anunciou também nesta semana um corte de US$ 2,7 bilhões em investimentos na fabricação de telas LCD até 2020. O diretor-financeiro da companhia disse que a decisão foi tomada em razão das incertezas em torno do mercado de aparelhos móveis.