A LG Display, divisão da LG responsável por fabricar telas, apresentou o segundo trimestre consecutivo de perdas e anunciou um corte significativo de US$ 2,7 bilhões em investimentos até 2020. Segundo a Reuters, a companhia sul-coreana é a segunda fornecedora da Apple a anunciar cortes em uma semana — a primeira foi a Taiwan Semiconductor Manufacturing.

Segundo o Don Kim, o diretor financeiro da LG, a razão para a revisão dos planos de investimentos da empresa se dá por dúvidas a respeito do futuro do mercado de dispositivos móveis.

“É uma abordagem conservador resultante de uma incerteza em torno do mercado mobile”, revelou o executivo durante coletiva de imprensa. “As condições de mercado estão se tornando favoráveis, mas a imprevisibilidade ainda é grande. Excesso de oferta e competição assimétrica são inevitáveis”, complementou.

Cortes ficarão restritos à produção de telas LCD, com a fabricação de OLEDs se mantendo intacta até 2020

O anúncio veio após a companhia divulgar uma perda operacional de US$ 202 milhões, com a receita caindo 15% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Diante do cenário, a previsão é que todos esses bilhões de dólares sejam reduzidos da previsão inicial de investimentos ao longo do próximo ano e meio.

Apesar da previsão negativa, a LG garante que isso não impactará no avanço de sua produção de telas OLED: a empresa continua com planos de fabricar 20 trilhões de painéis até 2020, ou seja, os cortes impactarão apenas a fabricação de telas LCD.