Por mais que a gente sinta saudades, a Copa do Mundo da Rússia acabou e a França levantou a taça de campeã mundial pela segunda vez na história. No caso da edição desse ano, chamou a atenção a estreia do VAR na competição, o árbitro assistente de vídeo que atuou até mesmo na final ao perceber a mão na bola de um dos jogadores da Croácia e alertar o árbitro de campo, que acabou marcando o pênalti.

E a FIFA está feliz com a implementação do sistema na Copa do Mundo, de acordo com um comunicado publicado no site da entidade máxima do futebol. Ao todo, 455 incidentes foram verificados ao longo da Copa, uma média de 7,1 por partida. Em 20 desses casos, houve a revisão do lance, momento em que o juiz principal é chamado para ver as imagens em um monitor à beira do campo.

Uma imagem.64 partidas. 455 incidentes checados. 20 revisões do VAR

“Como dito pelo presidente da FIFA, o VAR não está mudando o futebol, ele está fazendo uma limpeza no futebol, e esse era o nosso objetivo quando começamos o projeto do VAR junto com a IFAB (International Football Association Board)”, disse Zvonimir Boban, secretário da FIFA que foi responsável por supervisionar o VAR.

Pela tom da nota da FIFA, devemos esperar que o VAR comece a aparecer em cada vez mais torneios. Atualmente, ele também é utilizado nas primeiras divisões da Alemanha e da Itália, além de ter sido testado em outros países, como França e Inglaterra. No Brasil, os clubes da Série A rejeitaram a implementação na edição deste ano, mas a CBF já disse que está apenas esperando a aprovação da FIFA para utilizar o modelo na Copa do Brasil.