A sul-coreana Samsung enfrenta mais um processo nos EUA, devido a supostas violações de patentes tecnológicas. Desta vez, quem acionou a Justiça foi a empresa de segurança de dados PACid Technologies, no Texas.

Segundo a companhia, a Samsung violou três de suas patentes de segurança — duas nos Estados Unidos e uma na Coreia do Sul —, portanto deve arcar com os prejuízos dessa violação, devolvendo os valores referentes aos lucros em seus produtos.

A PACid alega que os recursos de reconhecimento facial, impressão digital, varredura de íris e o reconhecimento de usuários adjacentes infringiram as patentes reclamadas nos processos. E, segundo eles, a Samsung sabia disso desde janeiro de 2017.

As tecnologias citadas estão presentes nos aparelhos da linha Galaxy, desde o S6 até o S8, e também nas suas variantes.

Seria mais um caso de troll patentes?

A todo tempo vemos empresas processando grandes marcas por supostas violações de patentes. E isso é tão comum que inclusive empresas são criadas com essa finalidade específica, para lucrar com o trabalho das marcas que realmente produzem e comercializam os produtos.

Não podemos afirmar que a PACid é mais um caso de troll patente, mas tudo indica que sim, já que ela já processou outras marcas, como Apple, Nintendo e Google. Cabe agora à Justiça identificar se houve realmente uma violação ou se trata de mais uma frivolidade.

Quanto custará para a Samsung?

Se a Justiça entender que a fabricante sabia das patentes e, mesmo assim, as violou, os valores lucrados com a venda dos aparelhos devem ser repassados à reclamante  o montante deve chegar a algo em torno de 3 bilhões de dólares. Além disso, a situação prejudica a marca, uma vez que essas tecnologias são características da maioria das famílias de smartphones Galaxy.