Nokia realizou uma conferência antes da MWC 2018 oficialmente começar e o foco foi o 5G (inclusive com a apresentação de um novo chip) e o futuro da tecnologia.]

Ao final da apresentação, o CEO da empresa, Rajeev Suri, se permitiu fazer cinco previsões sobre a tecnologia em 2018 que envolvem soluções e produtos da marca, mas também estão presentes em toda a indústria. Algumas delas são bem óbvias, enquanto outras são mais ousadas. Confira:

1. Problemas sociais relacionados com tecnologia começarão a esquentar

Segundo Rajeev, a barreira entre as pessoas que possuem acesso a certas tecnologias e aquelas que estão fora desse barco ficará ainda maior este ano - e pode trazer problemas. A disparidade começa na automação, que vai afetar certos empregos e atividades, e vai envolver atividades políticas e leis relacionadas com tecnologia. Só que isso vai também valer para toda a nossa convivência em comunidade, já que parte da população será excluída de muita coisa.

2. A dominância do smartphone será questionada por novos fatores

Antes, o PC foi revolucionário por trazer várias funções digitais automatizadas. Depois, o celular revolucionou por levar tudo isso e muito mais ao alcance do bolso. Mas será que ele é o eletrônico definitivo para as nossas vontades? O CEO da Nokia vê 2018 como o ano em que os smartphones podem começar a perder a hegemonia, ao menos para conceitos que envolvam mais respostas de áudio ou uma sensibilidade e retorno háptico em toque. Não significa que outros dispositivos inteligentes necessariamente substituam o telefone, mas sim que ele vá para outros caminhos.

3. A realidade virtual vai começar a voltar

Como assim "voltar"? De acordo com o executivo, o hype em cima dessa tecnologia nem foi tão alto assim há alguns anos e já deu uma boa diminuída: muitos produtos de qualidade duvidosa foram lançados, ela não era tão acessível e o interesse caiu. Só que Rajeeet acredita que esse é o ano do VR estabilizar e reconquistar a indústria após uma reflexão crítica, trazendo novidades de fato revolucionárias e mais difundidas.

4. Mais e mais tráfego no backbone da internet estarão nas redes de companhias "webscale"

Uma companhia "webscale" é aquela que tem ambientes de rede privados, eficientes e com possibilidade de expansão. A Nokia acredita que o tráfego estará cada vez mais concentrado em serviços e servidores de Google, Apple, Alibaba e outras marcas. Isso traz serviços mais rápidos e acessíveis, mas estar em poucas mãos significa que novas companhias no mercado terão que investir pesado em rede

5. O sistema de saúde finalmente verá disrupção massiva e sistêmica

O sistema de saúde é um dos mais beneficiados pela inteligência artificial atualmente, mas ainda há um longo caminho pela frente sob perspectivas bastante positivas. Para Rajeet, um uso ainda maior de bancos e bases de dados, diagnósticos personalizados e muitos outros benefícios serão ampliados e popularizados com o principal ganho sendo salvar mais vidas.

E aí, será que o executivo vai acertar a maioria dos palpites? Continue conferindo a cobertura do TecMundo na MWC 2018!