Desde que começou a expandir as operações em diversos locais do mundo, a Uber tem sido alvo de críticas por diferentes razões. Uma delas é o excesso de horas de trabalho de seus motoristas. Com base nessa queixa de sindicalistas e congressistas, a empresa vai implementar um sistema de descanso obrigatório para os prestadores de serviços no Reino Unido. A nova política determina que a cada 10 horas na direção, os motoristas devem fazer um descanso de pelo menos 6 horas.

Uber afirma que quase um terço dos 50 mil motoristas do Reino Unido permanece conectado no aplicativo por mais de 40 horas. De acordo com a empresa, menos de 8% dos prestadores de serviço passam mais de 60 horas conduzindo passageiros. Ainda assim, a direção da Uber defende que está fazendo sua parte para diminuir a exaustão dos motoristas, fazendo com que eles descansem depois de horas seguidas levando passageiros aos seus destinos.

'Os motoristas passam, em média, apenas 30 horas por semana no nosso aplicativo, mas ainda assim queremos fazer a nossa parte para garantir que eles não dirijam cansados', explica Andrew Byrne, chefe de política da Uber

A gerência da companhia diz que os motoristas já recebem aconselhamento por meio de alertas de descanso. Mas a nova medida não se limita a notificações: os condutores serão realmente impedidos de acessar o aplicativo. Serão 6 horas de acesso ao app bloqueado depois de um período de 10 horas seguidas de atividade. 

Com essa nova regra, a empresa espera transmitir uma concreta preocupação com a experiência dos motoristas. E não é para menos: a carga horária dos condutores foi uma das questões que levaram à cassação da licença da Uber em Londres. Na capital da Inglaterra, o aplicativo foi impedido de continuar operando em setembro de 2017 depois de uma decisão da agência TFL (Transport for London), que regula os meios de transporte em Londres. Um dos argumentos da agência é que a Uber não seria apta a garantir a segurança e a proteção pública na cidade. 

Londres é um dos mercados mais importantes para a Uber, e a companhia quer garantir que revés como esses não se repitam. A empresa de São Francisco está recorrendo da decisão e espera reverter o cenário ao tomar medidas como essa do descanso obrigatório no Reino Unido. 

A empresa afirma estar tomando outras medidas para elevar a qualidade de seus serviços. No entanto, a nova regra de descanso já tem sido alvo de críticas de um sindicato que representa parte dos motoristas. Eles alegam que o principal motivo da carga horária cansativa dos parceiros da Uber não está sendo combatida: os baixos pagamentos. O sistema de descanso obrigatório deve começar a funcionar já na próxima semana.   

Cupons de desconto TecMundo: