As vendas de dispositivos como iPhones, iPads e MacBooks vêm sustentando a Apple de uma maneira bastante satisfatória, mas isso não significa que a empresa fundada por Steve Jobs e Steve Wozniak quer parar por aí. Entre as possibilidades consideradas pela companhia esteve, inclusive, a sua entrada no mercado de saúde básica por meio da aquisição de uma startup da área.

De acordo com reportagem de ontem (16) da CNBC, a empresa agora comandada por Tim Cook cogitou a possibilidade de adquirir a Crossover Health, companhia responsável por operar centro médicos dentro de grandes empresas. A Apple, aliás, é atualmente uma das clientes da empresa.

Citando uma fonte inteirada das negociações realizadas entre as duas empresas, a CNBC afirma que a conversa entre elas teria se arrastado durante meses, mas não se chegou a nenhum acordo. Uma das justificativas seria, também, a aproximação da Apple com o grupo de saúde One Medical, garante a publicação.

Oportunidade de negócio

Apesar de a possibilidade de entrar no mercado de saúde já circular dentro da Maçã durante mais de um ano, segundo uma fonte interna, não fica claro qual seria o projeto da empresa adquirindo a Crossover. As possibilidades giram em torno tanto de oferecer serviços médicos quanto o de apenas realizar parcerias para vender os produtos desenvolvidos em Cupertino e dedicados à saúde.

“Isso ajudaria a criar credibilidade com o Apple Watch e outros aplicativos de saúde”, informou à CNBC a investidora em tecnologia de saúde Nina Kjellson, que não tinha notícia sobre a possível negociação entre Apple e Crossover.

Vale lembrar que a Maçã tem diversos negócios nessa área, sendo que a maior parte deles ainda permanece oculta do grande público. Em entrevista à Fortune, Tim Cook revelou que “há uma série de coisas que eu não posso contar nas quais estamos trabalhando” quando o assunto é a área da saúde.

Será que veremos um “iDoctor” por aí em breve?

Cupons de desconto TecMundo: