O trabalho de DJ frequentemente consiste na “recriação de músicas” ou na produção remixes, mas muitos profissionais iniciantes só conseguem algum tipo de renda desse trabalho ao fazer apresentações em baladas ou eventos. Publicar essas faixas em serviços de streaming, por exemplo, pode gerar pesadelos judiciais porque o processo de obtenção de direitos autorais é complicado, e as gravadoras muitas vezes podem demorar muito tempo para retornar eventuais contatos. Para simplificar a legalização desse trabalho, a startup norte-americana Remix Hits assinou um contrato com a Sony Music.

Com isso, DJs que usarem o Remix Hits poderão comprar stems (segmentos de músicas como vocais ou seções instrumentais separadas) e usar o material em suas criações de forma legalizada. Esses profissionais poderão ainda publicar seus remixes diretamente no Remix Hits sem se preocupar com a renda de direitos autorais, que é automaticamente direcionada para a gravadora responsável.

Tecnologia

De acordo com o Digital Music News, o Remix Hits consegue identificar samples e stems de músicas dentro de remixes mesmo que eles estejam bastante modificados. “A empresa desenvolveu uma tecnologia chamada INSIGT para detectar material protegido por direitos autorais no nível do stem. Ela identifica se o material foi cortado, revertido, se teve o passo alterado, o comprimento alongado, distorcido ou comprimido em níveis extremos”.

Não sabemos se todo o catálogo da Sony Music estará presente nem os valores que os DJs terão que pagar

Em outras palavras, não importa a modificação que o DJ faça, o Remix Hits é capaz de identificar segmentos de músicas originais e, com isso, fazer com que a renda de direitos autorais seja direcionada adequadamente, tornando a faixa completamente legal.

Contudo, não ficou claro como funciona a distribuição de remixes feitos com stems comprados no Remix Hits, mas distribuídos em outros serviços de streaming, como o Spotify. Também não sabemos se todo o catálogo da Sony Music estará presente nem os valores que os DJs terão que pagar para usar esses segmentos de músicas originais. A startup já está planejando acordos similares com o Warner Music Group e também com a Universal Music.

O site do Remix Hits ainda mostra que o serviço deve ser “lançado em breve” e não há esclarecimentos maiores sobre como ele deve funcionar quando estiver no mercado.

Cupons de desconto TecMundo: