A esse ponto, muitos já devem saber bem que o mercado de eletrônicos não está em seus melhores dias, com previsões constantes de declínio que já vêm ocorrendo. Agora, uma nova pesquisa do Gartner veio reforçar exatamente isso: segundo eles, as vendas de PCs e dispositivos móveis devem apresentar uma queda de 3% – a segunda queda consecutiva, depois dos 0,75% de declínio de 2015.

Segundo os dados, a situação como um todo não vem se mostrando nada boa. Com exceção dos ultraportáteis premium, que devem apresentar um crescimento pequeno neste ano, o resto do mercado de eletrônicos só deve cair. Basta conferir a tabela abaixo para ter uma ideia:

Pois é, a situação trazida por eles não é nada animadora

Como você pode ver, a queda total é considerável, indo de 2,4 bilhões de unidades vendidas para 2,3 bilhões mundialmente. Além dos já mencionados ultraportáteis premium (notebooks Windows de alto desempenho ou MacBooks), que tiveram um salto de 44 para 49 milhões, os telefones móveis foram os menos afetados pela queda, indo de 1,917 bilhões de unidades vendidas para 1,887 bilhões.

PCs em queda livre

O destaque na queda fica, é claro, para os PCs, cujo mercado já vem apresentando números cada vez mais desesperadores nos últimos tempos. A previsão é de uma queda de 8%, resultante de uma diminuição da base instalada e de uma interrupção no ciclo de substituição dos aparelhos.

É importante notar, aliás, que os números para os PCs tendem a se tornarem piores. Como comentamos em outra pesquisa anterior do Gartner, esse mercado deve se tornar simplesmente insustentável dentro dos próximos cinco anos, ao ponto de que, se quiserem continuar nessa área, as empresas terão que se reformular.

Smartphones caem, mas vão se reerguer

A boa notícia é para a linha de celulares, que mesmo com uma queda de 1,6% no ano deve continuar crescendo. Diferente dos PCs, a diminuição nas vendas é resultado de uma maturação do mercado, já que os smartphones estão se tornando incrivelmente poderosos.

“O mercado de smartphones está amadurecendo e atingindo uma saturação global com telefones que são cada vez mais capazes e permanecem bons o suficiente por mais tempo”, afirmou Roberta Cozza, Diretora de Pesquisas do Gartner. Como já falamos em outra matéria, algumas mudanças também são esperadas, com empresas chinesas tomando cada vez mais espaço no mercado e uma participação menor de gigantes como Samsung e Apple.

O mercado de smartphones está amadurecendo e atingindo uma saturação global com telefones que são cada vez mais capazes e permanecem bons o suficiente por mais tempo

Assim, a previsão é de uma queda apenas temporária, que já deve voltar ao crescimento no próximo ano. “Esperamos que o mercado de smartphones premium volte a crescer 3,5% em 2017, com ciclos de reposição mais fortes entrando em vigor e com a expectativa de um novo iPhone no próximo ano, que se espera oferecer novo design e funcionalidades atraentes o suficiente para convencer os compradores a trocarem de aparelho”, declarou Roberta.

Voltando a crescer, lentamente

Antes que você pense se tratar de algo limitado a alguns anos especialmente ruins, por fim, é melhor pensar novamente: ao que tudo indica, a situação não deve melhorar muito dentro dos próximos anos. “O mercado global de dispositivos não dá sinais de que voltará ao crescimento de um dígito em breve”, disse Ranjit Atwal, Diretor de Pesquisas do Gartner.

Por outro lado, a boa notícia é que a empresa prevê um crescimento – embora mínimo – para os próximos dois anos. Das vendas totais de 2016, que devem totalizar 2,329 bilhões de unidades, a expectativa é de um aumento para 2,349 bilhões e 2,38 bilhões nos anos de 2017 e 2018. É uma diferença realmente pequena, ficando abaixo até das vendas de 2015, mas ainda é um sinal de estabilização.

Cupons de desconto TecMundo: