Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles, nos EUA, desenvolveram uma ferramenta de simulação que pretende auxiliar médicos que realizam atendimento a soldados feridos em combate. Rompimentos de vasos, sangramento arterial e hemorragia interna causados por projéteis, por exemplo, são algumas das demonstrações feitas por modelos 3D em vídeo (assista acima).

Sob o nome de “Smoothed Particle Hydrodynamics” (SPH), o sistema de animação usado consiste na demonstração do comportamento de fluídos compostos por partículas computadorizadas. Com o intuito de garantir fidelidade anatômica, as reconstruções gráficas realizam a combinação interativa entre o tecido interno, pele e ossos de um membro do corpo humano (como o de uma perna).

A simulação do ferimento causado por arma de fogo é feita por meio de um modelo anatômico com base no Material Point Method (MPM), tipo de animação utilizado para determinar o comportamento de colisões internas em função das particularidades de cada material – são levados em conta parâmetros como volume de partículas, tipo físico do ambiente e forças externas, por exemplo.

Atualmente, o estudo de lesões é feito a partir da observação de animais feridos. Se popularizada, a nova técnica de simulação poderá ser usada por médicos não apenas na análise de ferimentos causados por projéteis; pesquisas sobre transplantes e o tratamento de diversos outros tipos de injúrias ao corpo poderão ser feitos também por meio das animações em SPH.

...

Quais tipos de tecnologia 3D deveriam ser adotados em sala de aula para otimizar a aprendizagem? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: