A compra do webOS da Palm pela LG parece ter finalmente garantido um fruto de qualidade com a TV LG 55LB7000, mas o caminho até esse resultado foi cheio de pedras. Antes de virar o sistema operacional das TVs da LG, ele passou por vários obstáculos — e parece que, finalmente, descobriram a causa de tudo isso ter dado tão errado.

De acordo com o site Giga OM, que fez um relatório completo da situação do webOS, o problema estava em políticas corporativas da LG. Para começar, apesar de ser um pedido interno constante, a direção da empresa não contratava novos e promissores engenheiros do Vale do Silício — ela preferia funcionários da Coreia do Sul que trabalhavam remotamente e construiam funções que a equipe principal simplesmente não pedia ou até lutava contra.

Além disso, um sistema de competição e premiação acabava com a cultura de "simplificar". Segundo fontes ligadas ao site, a LG tinha uma política de recompensa para bonificar ou até promover os gerentes e engenheiros cujos códigos, criações ou funções sobrevivessem ao produto final — um incentivo que pode ter uma boa intenção, mas fazia com que o software virasse uma "bolha de conteúdo". Isso porque todos os funcionários tentavam adicionar mais algum elemento para receber o tal extra.

O resultado dessa política? Um terço da equipe do webOS deixou a LG desde a aquisição e mais estão próximos de sair, e a versão para tablets foi abandonada dois meses após o início do primeiro lançamento. O próprio sistema de TVs, que foi testado e elogiado pelo TecMundo, esteve a poucos passos de não ser lançado, especialmente porque a ideia da fabricante era completamente diferente. Ou seja, tudo deu certo no fim das contas e o futuro parece ser brilhante para a companhia, mas boa parte disso é culpa "de pura sorte", como afirmou ao Giga OM um funcionário que não quis se identificar.

Cupons de desconto TecMundo: