Análise: Smart TV LG 55LB7000 [vídeo]

17 min de leitura
Imagem de: Análise: Smart TV LG 55LB7000 [vídeo]
Avatar do autor

A nova linha de televisores inteligentes da LG está mexendo com o mercado de eletrônicos. A grande novidade fica por conta o webOS, o sistema operacional baseado em Linux que serve como base para os novos aparelhos.

A principal sacada da LG está na simplicidade de uso, e essa foi a proposta da empresa ao resolver recomeçar praticamente do zero a sua linha de produtos. Agora tudo ficou mais rápido, simples e integrado. De acordo com a LG, “a TV ficou simples novamente”.

E não é exagero concordar com essa afirmação. A novidade realmente é diferente de quase tudo o que temos por aí. Se antes era preciso navegar por uma série de menus e sistemas mais complexos até conseguir se encontrar dentro da interface, agora bastam alguns gestos com o controle remoto para encontrar o conteúdo.

Interface

O grande diferencial da LB7000 é o webOS. O sistema operacional deu uma cara totalmente nova aos aparelhos inteligentes da LG. O grande número de funções foi condensado em apenas um menu que concentra todos os itens no mesmo lugar. Essa tela, segundo a LG, é dividida em três principais:

  •          Passado, que é onde você estava;
  •          Presente, que é onde você está;
  •          Futuro, que é o que você pode fazer.

Para acessar a interface, basta pressionar o botão “home” no controle remoto. Ao fazer isso, você é levado para a tela “presente”, que mostra os programas atualmente em execução no sistema. A parte legal é que o que você estava assistindo antes não desaparece e continua sendo exibido no fundo da tela em segundo plano, sem engasgar ou perder qualidade no caso de vídeos em streaming.

A partir da tela presente, você pode puxar a da esquerda e acessar a interface “passado”. Ali você terá um histórico de tudo o que foi acessado anteriormente, incluindo aplicativos, serviços e outras funções que estiverem instaladas no aparelho e foram utilizadas recentemente. É como se fosse um menu de acesso rápido.

A tela encontrada ao lado direito da tela passado é a tela “futuro”. Essa é a principal biblioteca do sistema e é o lugar onde se encontram todos os programas e aplicativos instalados no aparelho.

Nessa área não existem submenus ou distinções entre os aplicativos. Tudo é mostrado de forma simples em ícones grandes e autoexplicativos. Dessa forma, encontrar algum app instalado é bastante simples e rápido.

A única desvantagem desse sistema é que você pode acabar se perdendo caso tenha muita coisa instalada, uma vez que tudo fica disposto na horizontal. Felizmente, basta posicionar o cursor na extremidade da tela para rolar o menu até o final.

Colocar esse cursor do controle sobre o ícone faz com que ele "pule" para cima e exiba um pequeno preview da função daquele programa.

O guia de usuário da TV também pode ser encontrado nesse menu. Ali dentro é possível ter acesso a todas as informações referentes ao aparelho: basta selecionar os tópicos e buscar pelas instruções de uso. O guia é bem intuitivo e ajuda muito caso você não saiba como realizar alguma tarefa específica no televisor.

Um sistema interessante é o aplicativo "conector do dispositivo". Trata-se de um guia passo a passo que ajuda você a conectar e configurar algum eletrônico ao televisor. Basta selecionar o ícone correspondente e seguir as dicas.

Ao selecionar o console de video game, por exemplo, você é levado a um menu que apresenta todas as entradas disponíveis na TV. Basta selecionar aquela em que você conectou seu eletrônico e pronto. Um ícone correspondente vai diretamente para a interface, junto aos outros aplicativos. Basta selecioná-lo da mesma forma que você escolheria qualquer aplicativo.

Dispositivos de armazenamento externo também podem ser conectados através desta interface. O guia ajuda você a entender como tudo funciona e serve para configurar o sistema de armazenamento do televisor. Após a conexão, uma letra de unidade será atribuída ao dispositivo conectado (semelhante ao que acontece no Windows) e você pode escolher o tipo de conteúdo que será armazenado ali.

O aplicativo de câmera também pode ser encontrado no mesmo local. Basta conectar o dispositivo (que acompanha o televisor) para acessar as informações de vídeo. Ali você controla a câmera como se fosse um smartphone. É possível bater fotos, gravar vídeos e ver tudo imediatamente depois. Você também pode realizar edições rápidas nas imagens e depois compartilhá-las pela função Smart Share.

A TV também oferece um navegador integrado. Ele funciona bem, mas ainda é bastante lento. É claro que o controle remoto ajuda muito nessa hora, mas mesmo assim a experiência não é das mais agradáveis. Serve bem para quebrar um galho, só que ainda é uma das áreas que a LG deve melhorar nas próximas atualizações de firmware.

As TVs vendidas a partir de agora também incluem o LG Arena Sports, um software que apresenta resultados e comentários de partidas de futebol, com direito a vídeos, fotos e muito mais, tudo atualizado em tempo real pela internet.

O Time Machine é um aplicativo que já vem pré-instalado no televisor. O que ele faz é permitir a gravação de vídeos diretamente da TV, assim como o seu videocassete fazia há alguns anos. Basta instalar um dispositivo de armazenamento externo (pode ser até mesmo um pendrive) e gravar. O ícone surge na tela quando você assiste a algum programa pelo aplicativo “LiveTV”.

É possível determinar o período da gravação de diversas maneiras: por tempo, até o fim do programa (ele puxa os horários através do sinal de TV digital) ou livremente. O sistema também deixa que você “volte no tempo” em um programa ao vivo, já que o sistema pode gravar o programa em tempo real. Também é possível agendar a gravação para mais tarde.

Esses recursos não são exatamente uma novidade, mas foram levemente atualizados e adaptados à nova realidade do webOS.

LG Store

Assim como a maioria dos dispositivos inteligentes, sejam smartphones ou set top boxes, as novas TVs webOS da LG também têm a sua própria loja de aplicativos. Tudo ali foi desenvolvido especialmente para o webOS e pode ser instalado com poucos movimentos.

A interface da loja apresenta um mix de diversos tipos de conteúdo. Entre eles, filmes, seriados, programas e muito mais. Muitos deles são recomendados com base no seu histórico de uso do aparelho. Para realizar o download de algum aplicativo, é preciso criar uma conta LG.

A recomendação de filmes é bem interessante: você seleciona algum título e é levado até uma segunda tela, que apresenta trailer, sinopse e demais dados. Embaixo é possível ver quais lojas/locadoras online têm esse título disponível e quanto ele custa. Basta selecionar para ter acesso ao conteúdo digital sem complicação.

A loja é bastante nova e possui uma oferta de aplicativos e recursos relativamente limitada, pelo menos por enquanto. Porém, assim como no exterior, esse número deverá crescer exponencialmente no futuro, o que deverá incluir novos players personalizados de vídeo, entre outros.

A loja também oferece alguns jogos mais simples, mas a própria LG já garantiu que esse não é o objetivo do aparelho.

Assistindo à televisão

Configurar esse televisor para transmitir os seus programas favoritos é outra tarefa simples. Para isso, a LG desenvolveu um guia passo a passo com uma mascote personalizada. O Bean Bird, como é chamado, passa por todos os tópicos na hora de configurar o sistema, indicando o que você deve fazer para ativar as funções, seja conectando um cabo específico ou fornecendo o nome do seu provedor de TV a cabo.

A instalação de codificadores é algo bastante intuitivo, e também pode ser acessada a partir do assistente de conexão de dispositivos. Dentro dessa tela, o guia pergunta qual o nome de seu provedor. Basta escolhê-lo na lista e passar para o próximo passo, que é identificar a marca do decodificador. A memória da LB7000 já carrega uma série de nomes, bastando escolher o certo e prosseguir.

Ao fazer isso, você poderá configurar o Magic Remote para controlar todas as funções do seu decodificador de TV a cabo ou satélite, evitando a necessidade de uso de mais de um controle remoto simultaneamente.

Mesmo que o decodificador esteja conectado via cabo HDMI, o aparelho entende que essa é principal fonte de transmissão. Com isso, ao pressionar a tecla “Live TV” no controle remoto, você é levado para a TV a cabo e não para a antena, como acontece em alguns aparelhos.

Sintonizar os canais de TV através de uma antena digital também segue esse padrão. Esse tipo de programação, inclusive, oferece uma vantagem, que é permitir a gravação de vídeo diretamente do que é transmitido, entre outras funções.

Controle remoto Smart Magic

O controle remoto também é diferente. O Magic Remote não é necessariamente uma novidade, pois ele já surgiu há algum tempo como um acessório opcional para os televisores inteligentes da LG. Para a geração webOS, ele deixou de ser um opcional, passou a ser um item de série e é o complemento perfeito para o sistema operacional. Ele também foi padronizado para funcionar do mesmo modo em todas as novas smarts da LG.

Esse aparelho foge do modelo tradicional e funciona como o controle do Nintendo Wii: um cursor aparece na tela assim que você movimenta o acessório com a mão, bastando que você clique nos ícones e comande a TV como quiser.

O modo de comunicação entre ele e a TV não é o infravermelho (como nos tradicionais), e isso permite que não existam falhas na comunicação entre os dois. Tal fato também garante mais precisão na hora de selecionar a programação, além de outras vantagens adicionais, como possibilitar o uso do controle remoto embaixo das cobertas, sem precisar apontá-lo para o televisor.

O design do controle é bastante simples, assim como a proposta da LG com o webOS. Ele não possui muitos botões, apenas os básicos para a navegação na interface do televisor. Os principais são o direcional e o scroll, semelhante ao de um mouse tradicional. Em torno dele, há um painel com quatro teclas de navegação: voltar, home, TV e comando de voz.

O teclado numérico físico deu vez à tecla input: ao pressionar esse botão, um teclado numérico virtual aparece na tela da TV e, graças ao cursor, selecionar os canais a partir dali é quase tão simples quanto pressionar os botões no controle remoto tradicional.

As teclas direcionais possuem funções que variam conforme o aplicativo em execução. A seta para cima, por exemplo, geralmente esconde o cursor e os menus da interface. Outros comandos podem servir para pausar, recomeçar ou fechar um vídeo em execução. Ao pressionar o scroll enquanto assiste a um filme do Netflix, por exemplo, você pausa ou retoma a exibição.

A maioria dessas funções pode ser estendida ao seu aparelho de TV a cabo, caso tenha configurado algum. Isso inclui o teclado numérico virtual e demais botões.

Comandos de voz

A LG trabalhou muito bem no sistema de comandos de voz desse televisor. E esse tipo de função é importante para apreciar todas as opções do aparelho. O sistema é bastante intuitivo e reconhece um pouco do contexto dos comandos através do sistema “Reconhecimento Natural de Linguagem”.

Você pode utilizar comandos como “vídeos de gatos engraçados” que a TV reconhece as funções. Outros, como “Mudo”, “YouTube”, “Abra configurações” ou “Netflix”, funcionam sem muitos problemas já que o aparelho tem facilidade para interpretar palavras em português.

Contudo, é preciso que o local esteja razoavelmente silencioso para que o microfone não se confunda com os comandos, caso contrário, a TV não saberá o que fazer. Isso faz com que a função de detecção de comandos de voz seja um recurso legal, mas que ainda não é tão eficiente quanto o controle remoto, por exemplo.

Controle por gestos

A LB7000 possui um sistema de controle por gestos. O hardware exigido para isso funcionar é a câmera de vídeo que acompanha o aparelho, ou seja, não é preciso adquirir nada separadamente. Configurar tudo não é muito difícil, bastando acessar o menu de configurações e ativar a função. Nesse momento o sistema pede para você ajustar o ângulo da câmera para que o seu tórax fique visível na tela, mas nada além disso.

Depois, enquanto você estiver assistindo à TV, levante o dedo indicador para cima para ativar o menu de gestos. Mova o dedo para os lados e selecione os comandos dobrando a ponta do dedo para frente. Para colocar a TV no mudo, é mais simples: basta posicionar o dedo em frente aos lábios, como se estivesse literalmente mandando a TV se calar. Vale lembrar que essas funções não funcionam em todos os modos de exibição.

O sistema por gestos funciona muito bem e não exige equipamentos complicados. No início é um pouco difícil aprender como tudo funciona e a utilidade desse sistema na prática ainda é um pouco questionável, já que aumentar o volume pelo controle remoto continua sendo mais eficiente. Mesmo assim, não deixa de ser uma função a mais para a sua TV, principalmente porque não exige hardware extra.

Controlando a TV pelo smartphone

A TV incluiu o sistema de conexão Miracast nesse televisor. Através dele é possível conectar o seu smartphone, tablet ou até mesmo computador de forma simples e rápida: tudo o que você precisa fazer é ativar o recurso no eletrônico e na TV. Assim como todos os outros aplicativos, essa função encontra-se no menu principal e, como as outras funções do equipamento, exige zero configuração para funcionar.

A conexão funciona muito bem, mas depende exclusivamente da qualidade da sua conexão WiFi para ser executada adequadamente. Na tela de ativação do Miracast, inclusive, a LG recomenda que você tenha uma rede 5 GHz para garantir a qualidade.

Em nossos testes, conseguimos conectar a TV com um smartphone LG G2. Isso funcionou muito bem para a exibição de itens como fotos, mas ficou um pouco ruim para vídeos e jogos, já que engasgou um pouco.

A melhor parte da conexão é poder controlar o telefone pelo próprio controle remoto da TV. O cursor Smart Magic ajuda bastante nessa tarefa, pois ele funciona praticamente como se fosse um mouse.

Conectar o seu dispositivo móvel com um televisor webOS deve ficar incrivelmente simples no futuro. Isso porque, em vez de a LG disponibilizar um aplicativo para cada sistema operacional móvel como a maioria faz, ela disponibilizou um SDK gratuitamente para quem quiser desenvolver programas compatíveis com o webOS. Assim, em breve teremos muitas opções de controle remoto para desfrutar.

Hardware

Essa nova onda de televisores inteligentes certamente fará com que os aparelhos fiquem parecidos com os smartphones no que diz respeito ao hardware. Qual aparelho tem mais memória? Qual modelo tem mais processador? A LG garante que isso vai acontecer, mas já deixou claro que a experiência com o webOS não será prejudicada. Pode ser até que novos televisores sejam melhores e mais rápidos, mas o uso sempre será mantido em um nível mínimo, nunca ficando ruim.

Com esse aparelho pudemos constatar que, apesar de o sistema ainda não ser tão rápido quanto o de um smartphone, por exemplo, ele apresenta uma série de vantagens em relação às TVs mais antigas por ser mais intuitivo e fácil de mexer.

Outras empresas, como a Samsung, possuem um sistema de gerenciamento mais complexo, que permite a substituição do hardware. O Evolution Kit pode ser comprado separadamente para melhorar a TV e aplicar mais funções ao aparelho. Entretanto, esse tipo de sistema faria com que a proposta de “simplificar a TV” da LG fosse por água abaixo.

Se você quiser conectar algum acessório como teclado ou mouse à porta USB da TV, poderá fazer isso sem complicações e ele será reconhecido prontamente. Um detalhe interessante é que, em um teclado tradicional, a tecla Windows abre o menu Home do webOS.

Tela

A LB7000 possui tela Full HD de 55 polegadas e utiliza o painel IPS da própria LG, referência absoluta em qualidade de imagem. Esse tipo de tela está presente nos principais televisores modernos da LG e em um grande número de smartphones, sejam eles da própria fabricante ou não.

Entre as principais vantagens do hardware está a angulação da imagem, ou seja, mesmo que você não esteja perfeitamente na frente da tela, não terá problemas com distorções nas cores. O IPS também oferece um tempo de resposta mais constante que outros painéis, além de garantir taxas de brilho e contraste muito mais altas.

Para ajudar a configurar a tela, a LG retorna com o seu assistente de imagem, disponível em aparelhos mais antigos da empresa, smart ou não. Ele não sofreu muitas alterações e continua sendo uma excelente ferramenta para calibragem da TV. O guia sempre oferece duas ou mais imagens para que você possa comparar lado a lado as modificações e no final permite que você salve o perfil para regular as imagens mais rapidamente depois.

Triple XD Engine

O Triple XD Engine é um sistema de processamento de imagens encontrado em alguns dos aparelhos mais modernos da LG que também foi incluído nesse modelo. O que ele faz é trazer uma série de recursos de processamento de imagem distintos para melhorar os visuais.

O primeiro otimiza o contraste através de um sistema de regulagem dinâmico para enriquecer os detalhes em cenas claras e escuras. Isso também ajuda a melhorar ainda mais as cores de forma geral.

Para completar, o sistema pode melhorar a nitidez das imagens através de um processamento especial feito nas imagens exibidas em resolução inferior às da tela da TV.

Esses filtros garantem uma qualidade de imagem superior, dando mais nitidez e diminuindo os ruídos. O resultado de tudo isso é bastante satisfatório, inclusive na transmissão de TV, em que alguns programas são exibidos com qualidade um pouco inferior.

Cinema 3D

O recurso 3D ainda não emplacou totalmente fora dos cinemas, talvez pela falta de uma solução realmente confortável. E a LG deu um passo importante nessa direção com o Cinema 3D. O recurso funciona de forma passiva, ou seja, você não precisa de óculos com telas de LCD para ver os efeitos especiais. Em vez disso, a tecnologia é parecida com aquela utilizada nos cinemas, em que lentes polarizadas dividem o sinal transmitido.

O resultado é bastante satisfatório: a tela não parece piscar muito durante a transmissão e isso evita que você sinta náuseas com os efeitos especiais. Ativar o 3D exige apenas que você pressione o botão no controle remoto e escolha o método mais compatível com o conteúdo exibido.

A TV também simula um efeito 3D em programas naturalmente 2D. O efeito apresentado não é incrível, mas é razoavelmente bom e funciona com praticamente qualquer conteúdo exibido na tela da TV.

Um dos contras dos sistemas 3D passivos é a exibição de linhas pretas nas imagens. Contudo, a uma distância de pelo menos dois metros da tela elas já são pouco perceptíveis e as imagens não perdem detalhes, como acontecia em aparelhos mais antigos. A LB7000 também já vem com quatro óculos 3D de lentes polarizadas e cores diferentes.

Sistema de som

O sistema de som da LB7000 apresenta alguns recursos para melhorar a qualidade, como o Clear Voice, que deixa os diálogos mais naturais, e o Smart Sound, capaz de regular o sistema de acordo com o programa sendo exibido, passando por filmes, esportes e música.

Outra ferramenta é o Virtual Surround Plus, um sistema de som que proporciona a sensação de um sistema de caixas surround.

Tudo isso colabora para garantir uma boa qualidade sonora, mas ainda não chega perto de substituir um hardware externo para o gerenciamento de som. Desse modo, é possível considerar que a LB7000 possui um sistema razoável, mas que não passa muito disso.

Vale a pena?

Certamente essa nova linha de modelos da LG mostra que o setor de televisores inteligentes precisava mesmo de uma renovação. Com o lema “menos é mais”, a empresa conseguiu criar aparelhos realmente “smart” e com recursos verdadeiramente funcionais.

A LB7000 é um excelente aparelho de TV que certamente não vai decepcionar ninguém. O webOS funciona de forma fluente e garante uma cara bastante moderna. A qualidade de imagem também é um destaque desse televisor. O painel IPS e a Triple XD Engine fazem um ótimo trabalho ao filtrar cores e imagens para garantir os visuais.

O sistema ainda é novo, deste modo, a loja de aplicativos possui poucas opções. Felizmente, isso deverá mudar em breve.

O televisor e o sistema são bastante rápidos, mas alguns itens ainda deixam a desejar, como a hora de ligar a TV. Apesar de ser possível ver a imagem em poucos segundos, a interface precisa de bem mais tempo até estar completamente acessível. Ela também dá alguns trancos, principalmente se você tentar alternar entre três ou mais aplicativos ao mesmo tempo.

O controle remoto dessa TV foi uma ótima sacada. Ele não é exatamente uma novidade, mas foi melhorado e agora deixou de ser um opcional. Agora trata-se da principal ferramenta de controle do webOS. Com isso temos um modo fácil e confortável de gerenciar a TV.

O preço das TVs webOS não foge muito do tradicional e está na mesma faixa de outros aparelhos smart. Isso faz com que investir nessa linha seja um excelente negócio. A LG ainda não anunciou o preço oficial desse produto, mas estima-se que ele possa custar algo em torno de R$ 5 mil quando chegar ao mercado. Porém, existem modelos bem mais em conta e que compartilham a maioria desses recursos.

Quem investir em uma TV com webOS da LG dificilmente vai se arrepender da escolha.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Análise: Smart TV LG 55LB7000 [vídeo]