O iPhone original chegou às lojas pela primeira vez há exatos 10 anos, no dia 29 de junho de 2007. Com a aproximação da data, muitos fãs esperam por novidades a respeito do próximo smartphone da Apple e vasculham a história do aparelho em busca de dicas sobre o que está por vir.

Independentemente do gosto pessoal por uma ou outra marca, não é difícil reconhecer que o iPhone original foi um aparelho disruptivo. Ele não somente mudou o mercado de celulares propriamente dito e influenciou todas as companhias da área, como também acabou sendo um dos responsáveis por alterar a maneira como todos nós interagimos uns com os outros e com o mundo ao nosso redor.

Tendo isso em mente, reunimos uma lista com alguns fatos mais curiosos sobre o celular inteligente da Maçã, que podem servir de dica sobre o que esperar do próximo dispositivo da família. Confira:

1 – Marco histórico

O iPhone original foi tão inovador que foi considerado a “invenção do ano” de 2007 pela revista Time. Depois dele, tornou-se comum fabricantes escolherem lançar aparelhos com teclado virtual, câmera embutida e aplicativos diversos. Recentemente, o sistema de câmera dupla do iPhone 7 Plus vem se tornando uma nova tendência no mercado.

Capa da revista Time

2 – Câmeras de respeito

Falando em câmeras, a popularização do iPhone – e consequentemente a dos smartphones em geral – levou quase todos nós a andar com uma câmera praticamente o tempo todo, algo que não acontecia antes. De lá para cá, o aparelho vem ganhando capacidade para produzir imagens cada vez melhores. Boatos recentes indicam que o próximo modelo pode ter uma câmera frontal capaz de detectar a localização e distância de objetos, o que pode também permitir o reconhecimento de faces e da íris do seu proprietário.

As câmeras do iPhone 7 Plus são uma nova tendência no mercado

3 – Popularizou as assistentes pessoais

A Siri foi lançada originalmente como um aplicativo independente para iOS, com previsão de chegar também ao Android e aos dispositivos da BlackBerry. Depois de comprada pela Apple, a tecnologia da assistente pessoal foi incluída como parte do sistema operacional do iPhone 4s. Desde então, a ajudante evoluiu bastante, passou a se integrar a vários outros serviços e ganhou contrapartes em produtos de várias outras empresas. Novos recursos chegam à Siri com frequência e o mesmo é esperado para o próximo iPhone.

A Siri está evoluindo cada vez mais e ganhou muitas rivais

4 – Cada vez mais fino

Desde o lançamento de seu primeiro modelo, a espessura do iPhone caiu quase pela metade, indo de 1,16 cm no smartphone original para 0,71 cm no iPhone 7. Para a versão de 2017, espera-se que a empresa troque o display LCD retina por um OLED, o que permitiria deixar o aparelho ainda mais fino.

Será que o próximo iPhone vai ser mais fino ainda?

5 – Transformação da App Store

A App Store foi o primeiro lugar na internet que permitiu fazer download de softwares de forma totalmente legalizada. No entanto, a loja virtual só foi lançada mais de um ano depois da chegada do iPhone. A princípio, ela tinha apenas 500 aplicativos disponíveis, mas hoje o número já passa dos 2 milhões de programas que podem ser baixados para o seu smartphone. Esse total continua crescendo todos os dias.

A quantidade de aplicativos disponíveis na App Store é enorme

6 – Não custa tanto assim para fabricar

O iPhone 7, modelo mais atual da empresa, custa para a fabricante aproximadamente US$ 224,80 (cerca de R$ 733,23, em conversão direta) por cada unidade produzida com 32 GB de armazenamento, sem contar os investimentos de desenvolvimento – de acordo com a IHS Markit. O aparelho é vendido lá fora por US$ 649 (em torno de R$ 2.165, sem taxas). Por aqui, o preço oficial com esse mesmo espaço interno é R$ 3.499.

7 – Rende muito dinheiro

Em um trimestre, a Apple vende aproximadamente 78 milhões de iPhones, segundo a Gartner. Isso dá uma média de 9 celulares por segundo, o que significa que o smartphone rende mais de US$ 350 mil por minuto para a empresa. Como em time que está ganhando não se mexe, podemos esperar preços similares ou ligeiramente maiores para o próximo modelo.

Não espere que a Apple diminua o preço do iPhone

8 – Dá para comprar pagando menos

Em seu site norte-americano, a Apple vende modelos refurbished de seus iPhones, que foram devolvidos por clientes e recondicionados para comercialização. Esses aparelhos saem por preços 15% menores do que os normais. Infelizmente, a empresa não faz esse tipo de oferta por aqui, mas é possível encontrar esquemas parecidos realizados por terceiros.

Bem que a Apple podia vender refurbished oficialmente por aqui, né?

9 – Bom preço de revenda

Pesquisas internacionais indicam que os donos de iPhones costumam manter o mesmo aparelho por mais tempo do que quem tem um Android. Mesmo assim, quase metade dos proprietários de um smartphone da Apple prefere revender seu modelo usado do que passá-lo adiante para familiares ou amigos. Entre outros fatores, isso provavelmente se deve ao fato de que os iPhones costumam se desvalorizar menos com o passar do tempo.

Para que dar se dá para vender?

10 – Data tradicional para anúncio

Desde o anúncio do iPhone 5, a Apple tem revelado os novos modelos de seu aparelho em um evento próprio, realizado sempre na primeira metade de setembro. A empresa ainda não confirmou nada para 2017, mas a expectativa é que a tradição seja mantida.

Falta pouco mais de dois meses para setembro

E aí, o que você espera do próximo iPhone? Deixe seus palpites nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: