Começou ontem (26) em São Paulo capital a edição 2015 da Futurecom, evento que visa discutir novas tecnologias de telecomunicações e prever tendências para esse mercado. O TecMundo esteve presente e pôde acompanhar alguns seminários pré-feira que serviram como ponto de partida para o congresso.

Uma dessas apresentações foi a da HomePlug Alliance, consórcio formado por 44 empresas cujos objetivos são certificar e desenvolver novos protocolos para a tecnologia de Power Line Communication (PLC). Já falamos sobre esse conceito aqui no TecMundo; trata-se daqueles extensores que utilizam a rede elétrica para expandir o alcance de sua rede de internet.

Rob Ranck, diretor da aliança, prevê que o Brasil logo se tornará um grande mercado para esse tipo de dispositivo, ressaltando que se trata de uma tecnologia complementar ao bom e velho WiFi. Com o advento do conceito de Internet das Coisas, é cada vez mais comum vermos televisores inteligentes e eletrodomésticos que precisam estar conectados à rede para funcionar de forma eficiente.

Avanços no setor

Essa mesma visão é compartilhada por Purva Rajkotia: o diretor de produto da Qualcomm Atheros comenta que os roteadores (certificados pela WiFi Alliance) são essenciais para dispositivos móveis, enquanto os dispositivos HomePlug podem ser usados para conectar aparelhos que naturalmente precisam estar sempre plugados em uma tomada. O executivo também ressalta o crescimento desse mercado ao longo dos últimos anos, afirmando que mais de 180 milhões de powerlines já foram vendidos desde 2011.

Rajkotia destaca que a HomePlug Alliance conta atualmente com três especificações para seus produtos: a Green PHY é otimizada para consumir menos energia elétrica, a AV representa a tecnologia “padrão”, e a recém-anunciada AV2 possui um desempenho até três vezes maior do que o protocolo original. Dispositivos com tal especificação possuem suporte a beamforming, ou seja, direcionam sua rede WiFi especificamente para os dispositivos conectados.

Além disso, embora os powerlines geralmente sejam vistos como um item de varejo, o executivo comenta que muitas provedoras de banda larga ao redor do mundo (especialmente aquelas que oferecem serviços de IPTV, ou seja, televisão por internet) têm adotado esses gadgets para oferecer uma melhor experiência para seus assinantes. Na América Latina, a principal companhia a adotar essa postura é a Telmex, do México.

Purva Rajkotia durante sua apresentação na Futurecom 2015

Atendendo às novas demandas

Nelson Ito, gerente de negócios ISP da TP-LINK, subiu ao palco e exemplificou por que os powerlines são necessários nos dias de hoje. “Para assistir a um filme na Netflix em resolução HD, por exemplo, você precisa de uma rede de 5 Mbps, sendo necessária uma conexão de 25 Mbps para vê-lo em Ultra HD”, comentou, ressaltando o aumento do número de conteúdos na qualidade 4K.

De acordo com testes feitos pela própria TP-LINK com dispositivos próprios disponíveis no mercado, a taxa de transferência média alcançada por um repetidor comum é de 10 Mbps, enquanto os powerlines podem alcançar 50 Mbps com facilidade. Embora a companhia só ofereça dois modelos de extensores PLC nas gôndolas brasileiras (ambos com especificação AV), Nelson ressalta que a marca vem fazendo um amplo trabalho para educar o país a adotar essa tecnologia, participando inclusive de eventos de grande porte como a BGS 2015.

Nelson Ito fala sobre as vantagens do powerline em relação aos extensores WiFi convencionais

Mas, afinal, como funciona?

Vale a pena explicar novamente como os powerlines funcionam para quem ainda não conhece essa tecnologia. Trata-se de um pequeno gadget que, ao ser conectado ao seu roteador e em uma tomada comum, transforma toda a sua rede elétrica em uma rede de internet, puxando a conexão do router através de um cabo RJ45.

A partir daí, coloca-se uma segunda peça em qualquer tomada em outra parte de sua residência e ela se transforma em um segundo roteador, podendo também ser usada como ponto de internet cabeada através da porta ethernet. A ideia é usar a fiação de cobre já estabelecida em sua casa para aumentar o alcance de sua rede WiFi, sem ter que se preocupar com interferências físicas como paredes. Com a tecnologia PLC, todos os cômodos de uma construção são interligados de forma simples e eficiente.

Embora ainda seja difícil encontrar powerlines aqui no Brasil, eles já fazem um sucesso absurdo lá fora. No mercado estrangeiro, é possível achar até mesmo modelos que são equipados com sockets, para que você não perca aquela tomada onde o dispositivo está ligado. Na China, já são comuns também os roteadores com módulos PLC integrados, que já transformam sua rede elétrica em uma rede de internet assim que ele for eletrizado. Infelizmente, não há previsão para a chegada desse tipo de aparelho no Brasil.

Você já usou um powerline em sua casa? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: