Reclamações sobre o serviço de provisão de internet no Brasil não são raras. Muito pelo contrário. E a PROTESTE, associação criada para fazer valer os contratos de serviços de internet, mostra que ainda há muito a lutar para se conseguir aquilo pelo qual se paga.

Segundo pesquisa feita pela PROTESTE com usuários de seu serviço de medição de velocidade de conexão, 56% dos consumidores recebem uma velocidade inferior à contratada pela operadora. Além disso, 65,2% afirmam estarem insatisfeitos com os serviços recebidos.

O medidor da PROTESTE, em parceria com o site Minha Conexão, está funcionando desde março realizando medições durante todo um mês para verificar a qualidade da prestação de serviço das operadoras. A Anatel obriga que seja fornecida uma velocidade maior do que 40% do que foi contratado em pelo menos 95% dos acessos, além de exigir o cumprimento de uma velocidade média de pelo menos 80% do contratado.

Insatisfação geral

A pesquisa, realizada entre 5 mil dos 128 mil cadastrados no site da PROTESTE, mostrou também que entre os consumidores que alegaram não receber a velocidade média prometida, 14% recebe apenas metade disso. A operadora Sky foi a que teve mais reclamações, com 19,2% dos pesquisados tendo afirmado receber uma velocidade 60% menor do que deveriam.

Outras operadoras que desagradaram muito os consumidores em relação à satisfação com o serviço prestado foram as empresas Algar Telecom, Claro, Oi, Sercomtel, Sky e Vivo.